quarta-feira, 12 de novembro de 2008

Dou piti, pago mico, mas não abro mão!


A Rê é quem tem pitis bons pra contar, mas hoje é minha vez!


O bom de pesquisar o tema do blog desta semana foi que descobri que esse predicado não compete apenas às mulheres contemporâneas...e que tão pouco os pitis pertecencem apenas a celebridades estadunidensense ou a ex-artistas televisivos que elegem-se deputado. Ops...
Tentei descobrir a estirpe da palavra piti, vamos lá.
Chilique, escândalo ou barraco. Alguém dá um piti quando responde exageradamente à alguém ou a algo.
Ataque histérico.
Estado de nervos mostrado por uma pessoa em razão de pequenos aborrecimentos que não mereciam tal conduta.
O curioso é que a origem dessa gíria é bem mais "erudita" do que eu pensava. Vejam só o que o Aurélio registra em "pitiatismo":Quote:pitiatismo
[De pit(o)-1 + -iat(o)- + -ismo.]
Substantivo masculino. 1.Psiq. Designação dada por Joseph Babinski (1857-1932) aos distúrbios secundários da histeria, rigorosamente subordinados aos ditos primários. [Cf. histeria.] Crise histérica diante de algum fato inusitado.
Mesmo fazendo de tudo para escapar do rótulo de que mulher fica histérica por qualquer coisa, qual mulher não dá pitis?
Claro que não é todo dia que saímos batendo o pé, dando “bafão”, gritando ou coisas ainda piores, ou ainda fazendo tudo de uma vez de forma descontrolada. Eu fico puta de vergonha, porque minha aspiração é ser, para sempre, fleuma, ordeira, inabalável e fina, falar como quem profere notas musicais quando alguém me tira do sério, mas não tem jeito: uma hora ou outra essa força tão comum entre nós fala mais alto...
Embora eu saiba que já dei muitos, eu me recordo de uma vez específica em que tive que descer do salto e rodar a baiana. E, como pitis geralmente andam de mãos dadas com micos, me lembro de uma vez, quando eu tinha, sei lá, uns 15 anos, que eu e duas amigas combinamos de sair no fim de semana (aliás, nossa única diversão eram esses passeios). Pois bem, ficávamos a semana toda esperando chegar o bendito do sábado. Então combinávamos tudo, tudo!!! Exatamente tudo era pensado com antecedência, inclusive a roupa que usaríamos e, como de costume, eu não via a hora de chegar o dia, ainda mais que eu tinha um “lindo” (na época era) vestido xadrez para desfilar no único point que existia na city para a galera se reunir. Chegado o dia, eu passei numa das amigas e lá fomos nós na casa da terceira. Lá chegando, quando minha amiga abriu a porta, eu mal pude acreditar no que meus olhos viam, a minha amiga... estava com o vestido xadrez exatamente igual ao meu...igualzinhoooooooooo ao meu! A principio eu ri, e imediatamente pensei “claro que ela vai trocar”, e foi onde eu me enganei. Tentei argumentar de todas as maneiras, dizendo a ela que eu estava mais longe de minha casa e que para ela seria mais fácil trocar, enfim... usei de todos os artifícios. Quando vi que não tinha jeito, depois de quase implorar, praticamente ordenei a ela que tirasse aquele vestido. Falei horrores e dei o maior piti na casa dela - inclusive a gente se esqueceu disso, aliás se esquece de qualquer outra coisa. Se está na rua, se alguém está vendo, eu iria lá lembrar que estava na casa dela? Claro que não!!!
Mas nesse dia não teve jeito, ficamos de “bico” uma com a outra, mas fomos, e íamos abrir mão do passeio e ter que esperar a semana toda???!!! (Tínhamos 15 anos né...)
E lá fomos nós, parecendo dupla caipira, uma de cada lado de nossa outra amiga (e a coitada junto) separando a nossa “combinação”...

Eu e minha amiga? Não, Miley Cyrus e sua dublê nas gravações de "Hannah Montana"

(mas até que ficaram parecidinhas com a gente...).



Ah, em tempo: quem dá show de piti mesmo é minha amiga Rê. Rê Bordosa? Não, a Renata... Uma hora ela mesma conta aqui no blog (se não for considerado baixaria demais hehe).
E, para fechar, eis novos flagrantes (pra variar) da rainha do piti. Amy Winehouse em momento de fúria contra os paparazzi, isso há menos de uma semana – justamente quando o marido saiu da prisão (dá pra entender?!).



Para quem quiser saber mais sobre as definições de piti, segue o link:
http://www.dicionarioinformal.com.br/definicao.php?palavra=piti&id=5003




Maria Jaqueline

45 comentários:

Anônimo disse...

Hehehe,Marioooooo...
Adorei a surpresa...risos...
Bjão e obrigada pela oportunidade...
Maria Jaqueline
Maria/Mariah

Anônimo disse...

hahahaha Imaginei que você iria curtir mesmo. Mas quem tem de agradecer sou eu e o público leitor do blog.
Beijo, Maria, e mande ver em mais posts divertidos e investigativos como este.

Mario

Anônimo disse...

Mário,dá até para eleger as "celebridades" que são reis e rainhas do piti,até as "instantaneas" tentam seu momento de gloria,ou melhor,de piti...
Tá que a Amy Winehouse e a "rainha" do momento mas,temos outras opções...
( )Britney spears
( )Paris Hilton
( )André Gonçalves(Quem diria)
( )BBBs que são inúmeros
( )Luana Piovani
( )Susana Vieira
( )Daniella Cicarelli
( )Caetano(também já deu os seus)
( )Naomi Campbell
( )Russel Crowe(esse roda a baina,quebra o barraco,e afins...
( )Clodo(para mim,o soberano do piti...
Dá para ficar o tia todo aqui...rs

Ah,
( )Renata,é uma rainha anonima do piti...rs(vou pedir p ela ler,claro!)

Eu ainda achei:
O que é que faz você dar piti?
Dar piti é dar fricote, xilique,
ter crise de pelanca,
soltar os cachorros, os bichos (as frangas também?),
chutar o balde, o pau da barraca,
rodar a bainana,
descer o morro...
Beijos...

Anônimo disse...

Esqueci de assinar...
Afff,crise de pelanca é ...

Maria Jaqueline

Anônimo disse...

Você esqueceu de citar a Vera Fischer. hehe
Acho que o pior é o Caetano, pela impáfia e arrogância, aproveitando-se de seu grande nome para esculachar e falar qualquer impropério.
Uma vez, em uma entrevista com o Nasi, do Ira!, o repórter comentou: "O Caetano disse que perto do rock, axé é Mozart, o que você me diz?", o Nasi respondeu: "Ah, mas o que o Caetano fala não pode ser levado em conta", e a entrevista continuou normalmente, sem sequer voltarem ao assunto. Olho o ponto em que chega um dos nossos maiores nomes da música, por conta das bestialidades que dispara. Realmente lastimáve. Mas todos os nomes que você citou são realmente do balaco-baco.
Beijo, Maria.

Mario

Verônica Pacheco disse...

Peço desculpas e espaço a Desaforada do dia para deixar minhas últimas palavras:
Fiquei muito contente com as demonstrações de carinho que tive dos leitores do blog e com tempo pude refletir. As expressões de carinho dos desconhecidos, dos amigos, por meio dos comentários, via fone e MSN, que recebi em muitos pedidos para ficar, ne fizeram mudar de opinião e acatar aos leitores e continuar escrevendo mesmo que de 15 em 15 dias, dividindo com uma amiga o espaço das quintas-feiras. Mas sinto informar que este velório não esta sendo por morte natural. O que seria em pouco tempo. Aos poucos desejava ir me desligando do blog,pelos motivos já mencionados aqui. Mas fui ASSASSINADA pelo nosso administrador, que AUTORITARIAMENTE impede o meu retorno. Muitos leitores e a desaforada Lu querem que eu fique. Eu mudei minha opinião e TAMBÉM QUERO FICAR. Acredito que isso seja mais do que necessário para a minha permanência aqui. Mas o desaforado de domingo, nosso administrador que esta se achando dono do blog esta impedindo meu retorno, dando argumentos sem embasamento lógico. Visto que o que é de desejo de todos (especialmente dos leitores) deve ser considerado e não apenas o desejo dele. Não entendo, mas respeito isso. O amor e o ódio são separados por uma linha tênue. E isso se manifesta neste comportamento claramente. Desejo a nova desaforada que vai me substituir que ela não se sinta culpada por ocupar um espaço que não deveria ser seu, pois deixei claro em meu post que escolheria alguém (para que mesmo indiretamente pudesse participar), o que mais uma vez foi me impedido pelo administrador autoritário. Informo ao Andy que perguntou recentemente pq das desaforadas antigas estarem saindo. Agora ele e todos entendem o pq. Trabalho falta de tempo, viagens tudo ficaria em segundo plano na nossa vontade de sair. Mas esta administração que tem muito do tema da semana, pouca gente agüenta por muito tempo. Por mais que amemos escrever para vcs.
Agradeço de coração e informo que vou ver se ressuscito minha idéia de criar os Desaforados, já que neste tenho cartão vermelho. Afinal, o leitor em primeiro lugar sempre!
Grata
Verô

Anônimo disse...

Verô, você não tem de pedir desculpas e pode se manifestar à vontade, o espaço de comentários é para isso mesmo, relaxe.
Quanto às demonstrações de carinho, que ótimo, é muito bom que você tenha um círculo de amigos e admiradores. Mas, conforme eu já disse, você havia feito uma mensagem de despedida do blog e nem consultou ninguém, de modo que foi automaticamente substituída, porque, felizmente, há um time excepcional de colaboradoras (oficiais e eventuais) à disposição para escrever no blog. E, como se pode comprovar, a qualidade dos textos não deixa nada a desejar, pelo contrário.
A acusação de assassinato não procede. Você declarou que estava de saída e foi prontamente atendida. O espaço das quintas-feiras, conforme já disse várias vezes por e-mail e você se recusa a aceitar, nem ao menos seria seu por direito, visto que a Flavinha o ocupava antes da sua chegada. Você foi convidada a participar e por aqui permanecer até que solicitasse ou comunicasse seu desligamento. Você o fez, e ponto final. Lógico que nenhuma das novas Desaforadas têm de se sentir culpadas por estarem nos lugares das anteriores, isso seria ridículo. Você não se sentiu nem um pouco culpada por ocupar o lugar da Flavinha, não sei o motivo de insinuar que poderia surgir este sentimento no blog justo agora. Eu também disse que, como ex-Desaforada, você não tem que escolher ou opinar sobre uma substiuta, visto que seria o equivalente a um ex-funcionário querer dar pitacos sobre quem ele quer que ocupe seu lugar na empresa. Não estou sendo autoritário, este foi o procedimento adotado até agora: se uma Desaforada pede para sair, automaticamente uma outra a substitui. E você nunca se indignou com isso. Nâo entendo como agora surgiu este rompante de revolta. Sobre o motivo de Desaforadas terem saído, isso é coisa que compete apenas a elas, e tenho ótimo relacionamento com todas. Saíram por motivos de foro íntimo e pessoal, quase todas por situações de excesso de trabalho ou outro, e não vou entrar nos méritos, porque isso é particular e seria ridículo e indiscreto querer aqui expor cada um dos casos. Quanto a pouca gente aguentar, você está falando por si, felizmente me dou muitíssimo bem com todas as Desaforadas (tanto oficiais quanto x e ex) e acredito que a recíproca seja verdadeira.
Sem mais, desejo que você tenha sucesso em seus próximos projetos, e que leve mais a sério aquilo que você mesma escreve, porque eu levei. Você fez um comunicado e ele foi atendido.

Mario

Verônica Pacheco disse...

Mario, como roteirista de profissão sabe usar bem as palavras. Mas elas não podem mudar os fatos. Sim pedi para sair, mas disse que uma amiga me substituiria, já que isso não é uma empresa e portanto não deve ser comparada e ou gerida como tal. Isso não foi respeitado. Nem respeitada foi a minha vontade de ficar em virtude do apelo dos leitores. Isso não muda em nada o seu autoritarismo na coordenação imposta deste blog. E quanto às desaforadas, seu argumento esta furado, visto que também sou desaforada e não é de hoje que me maltrata verbalmente. Até virou a cara para mim quando nos encontramos no restaurante. Escrever bonito é legal, mas escrever a verdade é melhor ainda. E respeitar a opinião alheia então? Nem se fala.
Verônica

Anônimo disse...

O fato de não ser uma empresa não significa que o blog é uma bagunça onde se pode tudo. A regra é muito simples: alguém pede para sair (ou comunica que vai sair, como foi seu caso) e é substituída. Isso sempre foi assim, não entendo agora o motivo da estranheza. Não há motivo para se adotar sua indicação porque você estava se comportando como participante do blog mesmo já tendo declarado sua saída. E, repetindo: se for realmente para se consultar a legítima detentora do direito de ocupar o espaço das quintas-feiras, deveremos pedir opinião para a Flavinha e não para você. Você foi convidada a entrar no blog (aliás, eu mesmo a convidei), não a ser "dona" das quintas-feiras. A sua vontade de ficar é legítima, todos temos vontade de ir para a Disney, ser VIP, o escambal, mas perdeu o seu direito quando disse que estava saindo. Há outras Desaforadas a postos e são elas que não podem ser desrespeitadas por conta da sua instabilidade de comportamento e opinião. Nunca a maltratei verbalmente, e as Desaforadas sabem disso, mas sempre fui contra, sim, seu comportamento altamente anti-ético com colegas de blog, fazendo desqualificações de texto publicamente inclusive, algo de que você não se arrepende e nem se retrata. E este não foi seu único episódio de destempero, sendo que não revelarei os demais porque isso é uma discussão que compete a mim e a você, não aos leitores. Roupa suja não se lava em blog. Sobre eu olhar ou não para a sua cara, por favor, Verônica, vê lá se alguém que está lendo este arranca-rabo virtual tem alguma coisa a ver com isso. Essa sua tentativa de criar crise no blog para se manter nele é mais ou menos como a de um marinheiro que dá tiros no casco da embarcação para não ser expulso na nau.
Como dizia uma ex-professora minha de Estudos Sociais: "o auto-controle é a base da sanidade mental". Ao contrário do que você escreveu, respeito a sua opinião. Aliás respeitei desde o momento em que você comunicou sua saída. Agora é sua vez de respeitar a minha.

Mario

Verônica Pacheco disse...

Agora falou bonito. Respeitar a SUA vontade, em detrimento da de todos. Tem hora que o cerco fecha e não há mais como fingir não é? É o que digo e não me cansarei de repetir. Vc usa a desculpa de que aqui não é a casa da sogra, blá, blá blá, para manter o controle como bem entende. E pelo visto usa nós desaforadas como figurantes deste seu brinquedinho de blog. Já que aqui ninguém tem diretos e sim apenas deveres. Chega Mario cansei, dos teus maltratos e baixezas. Mas ao menos saio tirando sua carapuça e com a certeza de ter esclarecido as regras do jogo para todos. Tanto para os leitores quanto as desaforadas. Agindo assim vais acabar brincando sozinho.
Verônica

Anônimo disse...

Quem vai dizer que é apenas "demonstrações" do tema da semana???

Anônimo disse...

Verônica, eu estou me segurando para não listar aqui as suas diversas atitudes inconvenientes durante o tempo em que foi Desaforada.
Minha vontade, e nunca escondi isso nem de você nem de nenhuma das Desaforadas, sempre foi a de ter um time coerente, o que não incluía uma integrante como você, que logo no começo se revelou passional, ególatra e arrogante. Neste time sou apenas mais um integrante. Aliás, eu havia pedido várias vezes que meu espaço no domingo ficasse restrito entre as 18h e as 00h, pois eu queria que houvesse Desaforadas todos os dias da semana, já que este é um blog feminino por excelência. Se estou fazendo o papel de gerenciador do blog, discutindo com as Desaforadas e interagindo sempre que possível, é porque este é um papel que gosto de ocupar e acredito que posso ajudar na ordem das coisas. Mesmo porque, ao contrário de você que pegou tudo de carona, foi lá atrás que agilizei a Editorial para fazer a logo e a mascote; discuti com a Mopi sobre a programação visual (que aliás, articulou seu ex-namorado e fizeram juntos um ótimo trabalho) e debati com a Ale, a Josy e a Adri sobre o norte a ser dado para este canal, o que me dá um conhecimento de causa maior e me permite poder orientar melhor os esforços e cada post. Nenhuma Desaforada é figurante, todas ocupam o mesmo espaço, todas têm direito a um dia da semana, o mesmo valendo para mim. Ninguém tem nada a mais ou a menos. É absolutamente infantil a sua tentativa de jogá-las contra mim. Mesmo porque nos damos muito bem e todas têm os mesmos direitos e deveres, que são bem simples: o direito de publicar um texto com liberdade total e irrestrita em um dado dia da semana; e o deve de cumprir com este compromisso. Você abriu mão de direitos e deveres simultaneamente. Você está garganteando como minha juíza de si mesma, com uma presunção incrível. Ninguém deu a você esta autoridade. Sua descompostura é justamente o que dá a garantia ao blog de que seu aviso de saída foi a melhor coisa ocorrida desde sua criação.
Seja feliz (e, acredite, não estou sendo cínico).

Mario

Verônica Pacheco disse...

Infelizmente ninguém anônimo, pois é a mais pura verdade. Tô super chateada com o comportamento do Mario. E como desaforada aprendi a não ter papas na língua. Falo mesmo. Se ele pode fazer e acontecer pq não posso dizer o que penso e pior o fato? Não precisava nada disso se ele fosse mais compreensível e flexível, como boa parte do mundo é.
Verô

Anônimo disse...

Concordo, Verônica, pode continuar falando o quanto quiser e o que bem quiser. Mas reivindicar para si a autoridade de estar dizendo a "mais pura verdade" talvez seja um pouquinho exagerado. Não sei, é só um conselho, podem acabar pensando que você se acha "a dona da razão".

Mario

Verônica Pacheco disse...

Mais uma vez vc usa do jogo das palavras para tentar se defender. Quer listar é? Pois em cada um delas posso rebater de que vc botando o pitaco nomeio aumenta tudo sem necessidade. Um bom exemplo é o da minha permanência. Seria tão simples. Ser resolvido. Mas não o seu desejo é o único que impera aqui neste blog. E todos devemos respeitar piamente os mandos e desando do autoritário administrador. Se todas temos direito com que poder tem para me excluir mesmo contra minha vontade,de uma desaforada e dos leitores que são o mais importante? Cadê os nossos direitos de rever uma opinião?
O time coerente somos nós que fazemos e não vejo incoerência nenhuma em mudar de opinião a pedido do público. Já disse que seu ódio/amor não me abalam mais. Seu achismo sobre mim não me afeta. Pode continuar me maldizendo e tentado me colocar contra todos, como é de seu costume que isso não me atinge. Me da pena.
Agora vai elencar o que ajudou no blog para tentar ter legitimidade no seu mando autoritário. Se fez, fez por que quis e não pode cobrara agora. Eu também fiz muita coisa, levei as desaforadas na mídia e tentei incrementar o blog com outras idéias. Até me ofereci para emplacar a idéia de criar o blog dos desaforas, mas nada que a Verônica fizesse agradava o administrador autoritário.
Se temos o mesmo direito como vc fala pq não posso ficar? Tenho direito de mudar de opinião e recuperar o meu posto. Não é? Se ninguém tem nada a mais ou a menos como vc mesmo escrever pq vc tem a mais em não me deixar ficar, sendo que todos desejam (o que já esta bem claro desde quinta passada nos comentários) isso menos vc?
Já falei suas palavras de baixezas não te levam a lugar nenhum. Me criticar não te faz maisor. A situação é simples. Só que vc teima em entender. Desça do seu pedestal e escute uma outra desaforada, a Lu que pediu para eu ficar e que deve ser levada em consideração e os leitores que se não fossem eles não haveria sentido este blog. Não há descompostura alguma apenas um pedido de que reconsidere seu autoritarismo, pois como vc disse todos aqui somos iguais. Aja de acordo de como suas palavras. Se somos iguais pq esta se comportando autoritariamente? O que tem errado em eu querer defender minha vontade e a dos leitores?
Como vc é baixo Mario, eu nunca esperava isso de vc.
Verônica
P.S. Pode continuar jogando com as palavras Mario, já que não tens argumento. É a sua única escapatória mesmo. Os fatos estão expostos para todos verem. O fato é um só. Isso não há como negar.

Anônimo disse...

Rsrsrs Esta mulher está surtando. Rsrs
OK, Verônica, antes estava sério, agora já começa a ficar engraçado. Mas melhor assim, porque daí pelo menos a gente se diverte, né?
Vou desconsiderar sua patuscada toda e ir direto ao ponto que interessa.
Nem mesmo a Lu, que é uma das Desaforadas mais queridas deste blog, poderia reverter a situação. Aliás, ninguém poderia, e estou me incluindo nisso. E por uma questão simples: não é o fato de se mandar ou não neste espaço, mas sim o de se respeitar quem está entrando. E isso será feito. Não tem mais como dizer “desculpe, a moça resolveu reconsiderar”. Repetindo: sua vontade foi respeitada, você disse que ia sair e, como este é um blog diário e eu não queria deixar alguém para escrever de última hora, tratei de substituí-la. Isso sempre foi assim, e agora você fica sapateando mais que dançarina espanhola em cima da brasa. Se você quer realmente que haja respeito, comece por respeitar quem está entrando no lugar que você mesma desocupou por livre e espontânea vontade.

Mario

Anônimo disse...

hahahaha
pitis virtuais

vero, nao encana não. Sempre soubemos desse autoritarismo.

monte um blog seu, já que era uma das poucas que restavam por aqui.

Anônimo disse...

Está aí um bom conselho, Verônica. Apesar de anônimo. rsrs

Mario

Anônimo disse...

Caro pederasta mario.

Cabe ao administrador do blog autorizar ou não a postagem como anônimo.

Sou a vovó Mafalda.

Anônimo disse...

Nossaaaaaaaaaaaa, ainda bem que o tema da semana é “piti”, não quero nem pensar se fosse guerra, chacinas, ou caça as bruxas...
Puts, pedi as minhas amigas acessarem ao blog,não só pelo meu prematuro post mas para conhecerem,pois achei bm legal esse "espaço"(affff)...mas confesso que estou de joelhos para que elas não entrem...E se entrarem vou dizer que era tudo encenação!!!
Maria

Anônimo disse...

Tá em seu total direito, Vovó Mafalda. E quanto ao fato de me chamar de "pederasta", puxa, devo confessar de que fiquei realmente muito satisfeito por você estar defendnendo a outra parte. :-)

Mario

Verônica Pacheco disse...

Mario seu xingamentos desnecessários só mostram duas coisas. Primeiro que vc quer tirar o assunto do foco, pois não tem argumentos. E segundo mostra as novas desaforadas como elas serão tratadas caso enfrentem vc contra a ordem que vc faz vigente.
Não há nada de engraçado aqui. É um fato lamentável e muito triste pelo autoritarismo que esta nos sendo imposto e não falo só de mim mais das outras pessoas que pediram para eu continuar escrevendo. Haveria muitas formas de reverter à situação, mas com bom senso e respeitando a vontade de todos, claro até mesmo da desaforada que quer entrar. Sempre há um jeito para tudo quando se olha aa situação positivamente.
Verônica

Anônimo disse...

hahahaha De fato, Maria, o baixo nível está escabroso. Mas é bem do feitio de quem gosta de apedrejar ao invés de cultivar. A tal filosofia do "dividir para conquistar". Lamento por ter sido justo no seu dia, sorry.

Mario

Anônimo disse...

Marioooooooo,quer dizer que você entrou para irmandade,e nem me contou???(risos)
Bjos...
Maria

Anônimo disse...

HAHAHAHAHAHAHAHA Pra você ver, Maria. Dessa, nem eu sabia. rsrsrs
Beijo.

Mario

Anônimo disse...

O circo tá pegando fogo!
... agora é aguardar pelos próximos capítulos! ;-) rsrsrs
Cá. *

Anônimo disse...

Pois é Cá...
Beijos para vcs...
Maria

Anônimo disse...

Circo mesmo, Cá, acredita que até a Vovó Mafalada passou por aqui?! hahahahahahaha
Beijo

Mario

Anônimo disse...

Tô vendo, só faltou o Bozo... hahahaha ;-)

Anônimo disse...

... esqueci de assinar lá em cima.
Beijos,
Cáaaaaaaaa! rs ;-)

Anônimo disse...

Ao contrário do anônimo aí de cima, tenho uma outra sugestão. Seguinte, crie um blog concorrente, no mesmo estilo deste aqui (claro que com os devidos diferenciais, rs). Desta forma acaba-se com o "monopólio".
Cá *

Anônimo disse...

Mas é exatamente isso q a Vovó Mafalda sugeriu, Cá. Inclusive vc mesma pode ser colunista do novo blog. Quel tal, hein? :-)
Beijo.

Mario

Anônimo disse...

também quero escrever nesse novo blog.

vovó mafalda

Anônimo disse...

hehehehehe,mulher com falta de p... é f... heheehhe, dá piti até em blog... heheheheheh vovó mafalda? putz ainda se fosse mulher gato... hahaahhaha


Fabíola

Anônimo disse...

Fabíola, eu acho que a Vovó Mafalda está mais para Papai Papudo. hahahaha
Quanto à falta, bom, aí entra o Freud afirmando que a paz no mundo poderia ser resolvida se todos resolvessem este quesito, né. Está aqui um pequeno laboratório que faz eco às sábias palavras do pai da psicanálise.
Beijo.

Mario

Anônimo disse...

Vou contestar o papis da psicanalise...hheeeee,e dizer que a falta,ou o não uso,não faz mal não...talvez o que faça mal é o uso ineficaz,por falta de pratica, ou ausência de "volição"...risos...
Maria

Anônimo disse...

Complemento corretíssimo, Maria. Na verdade é a tal da sublimação: se não pode trepar, faça algo em q extravase a energia sexual represada, tipo tricô, arrumar a casa, fazer um curso de culinária, jogar gamão, escrever num blog... ops, agora entendi. hehe
Beijos e veja que de repente esse raciocínio pode ajudar a montar o post da semana que vem.

Mario

Anônimo disse...

papai sacudo, não papai papudo

Anônimo disse...

Sacudo não, porque, para escrever em anonimato, o que você menos tem certamente são cujones.

Mario

Anônimo disse...

e tu, tienes?
para ser covarde com MULHERES, mais que isso, AMIGAS... bom, culhão por culhão , preste atenção nos seus.

sou uma mulher que tem culhões.

Anônimo disse...

Quem dá o tapa, esconde a mão e fala sem conhecimento de causa não tem como principal prejuízo não ter cujones, e sim não ter cérebro.

Mario

Anônimo disse...

Não consigo entender porque tanta gente reclama quando alguém deixa um comentário como anônimo(a).
Além do mais, até onde sei, é uma ferramenta que o próprio Blogspot proporciona. E se esse for o problema, a solução é simples. Basta desativar este ítem. Daí todo mundo sai feliz. rs.
Camila. *

Anônimo disse...

Ué, mas quem está reclamando do post ser anônimo, Mila. Já disse que ela tem todo o direito de exercer sua liberdade de expressão e de ser covarde. Além disso, eu te digo que esse post nem é assim tão anônimo, não. hehehe
Beijo

Mario

Anônimo disse...

Caral... Não sabia que anonimato era sinônimo de covardia. rs ;-)
Camila *

Anônimo disse...

Mila, me diga o nome de um único anônimo corajoso. :-)
Beijo.

Mario