segunda-feira, 1 de fevereiro de 2010

Tema da Semana: Fazendo Cu Doce

Escolhas De Um Vencedor

Pedro estava no auge de sua adolescência, muitos amigos que na verdade nem eram assim tão amigos, muitas festas, que na verdade não eram lá aquelas festas, muitas namoradas, que na verdade não eram bem namoradas, muito estudo, que com certeza não eram assim muitos estudos, isso para ele na sua visão de campeão.
Mas assim corria comodamente sua vida, em meio a festas, namoradas, estudos e amigos. Foi nesse caminho que Pedro encontrou vários caminhos, sua vida também era feita de escolhas, conheceu coisas e pessoas diferentes, errou e acertou, mas sempre escolheu. Maratonista seja de matemática ou na educação física, vencedor nato, admirado por todo o colégio e o pupilo da família. O terceirão foi para ele simples e fácil, passou no vestibular em várias universidades públicas e mais uma vez pode escolher a qual preferia.
Pedro então mudou de cidade, mudou de amigos, mudou de festas, mudou de namoradas e mudou de estudos, sim a faculdade era puxada, virava horas debruçado nos livros, nesses momentos seus novos amigos, aqueles que levaram Pedro para as novas festas e apresentaram as novas namoradas, bem aqueles, lhe apresentaram pílulas mágicas, que o faziam dançar a noite toda e ter pique para estudar, chegar na faculdade e realizar provas, e Pedro mais uma vez fez suas escolhas.
Ele ainda mantinha contato com os antigos amigos, aqueles que ficaram lá na sua cidade natal, e nas férias sempre se reuniam para relembrar os tempos antigos e colocar as novidades em dia. Numa dessas férias Pedro apresentou sua mágica descoberta, alguns que nele confiavam e admiravam cegamente aceitaram de primeira, outros resistiram um pouco e muito poucos se negaram e tentaram avisar Pedro sobre o que realmente estava acontecendo, sobre os fins que poderia ter. Ah mas Pedro era um campeão, ele mesmo repetia para quem quisesse ouvir que era um vencedor e nada o abalaria o controle de sua vida estava em suas mãos e sabia sempre das escolhas feitas, e mais ainda, repetia ter autocontrole para parar sempre e quando quisesse. Depois desse discurso os velhos amigos sentiram-se pequenos, Pedro era grande demais para a pequena cidade e decidiu para lá não mais voltar.
Os meses se passaram e nosso campeão não venceu pela primeira vez, na verdade uma pílula já não era o bastante, agora já eram quatro às vezes cinco, ele não fazia “cu doce”, como diziam os mais chegados. Ainda acreditava que tinha tudo sob controle, os velhos e os novos amigos se afastaram, mais uma vez as festas e as namoradas mudaram constantemente, os pais já não suportavam mais a condição de seu pupilo, e de certa forma se afastaram, clinicas não bastavam, não o agüentavam, dinheiro já não era suficiente.
Pedro escolheu buscar outras alternativas para manter o fictício controle, numa dessas aventuras foi pego, foi preso, e dessa vez não teve escolha, nenhum telefone o atendeu, estavam todos cansados de avisar e sempre ouvir o mesmo sermão de que ele era um vencedor inabalável.
Por lá Pedro ficou, talvez tenha se arrependido o que nunca assumiu, mas com o passar do tempo pode perceber um novo mundo, um universo paralelo, com leis próprias do mundo cão, viu sangue, viu dor, viu a morte e percebeu que na escola da vida a vida é feita de escolhas.


Fernanda Bugai

2 comentários:

Karime disse...

Oi, Fer! Espero que Pedro seja um personagem ficticio...
Forte teu texto, mas muito real.
Beijos

Fer Bugai disse...

Agora é Ka!!
Pois é, verdades que assustam as vezes infelizmente.

Beijão
Fer