segunda-feira, 11 de janeiro de 2010

Dividindo os lençóis


Diferentemente da geração da minha mãe, fui criada por meus pais para ser uma mulher independente, em cuja vida os homens seriam uma questão de opção e não de necessidade. Minha mãe foi (e ainda é) uma mulher independente e forte. E eu cresci decidida, corajosa, com atitude, energia e sede de trabalho. Efetivamente me tornei uma mulher independente e hoje homens realmente são uma opção na minha vida. Tenho orgulho do que me tornei, mas às vezes isso dificulta minha vida pessoal.
Uma amiga perguntou à sua terapeuta, certo dia: “Sou uma mulher bonita, inteligente, independente, querida e divertida. Não pego no pé, não cobro satisfações. Tudo o que um homem deseja. Por que ainda estou sozinha?” A terapeuta respondeu: “O problema é que tu és muito tudo: muito alta, muito bonita, muito independente, muito divertida, muito inteligente, muito querida. E os homens não estão preparados para mulheres ‘tudo’.”
É absurdo, mas parece ser verdade. Quatro amigos já me disseram que de uma forma geral, os homens não estão preparados para mulheres com as quais eles não precisam preocupar-se ou sobre as quais eles não precisam reclamar. Mulheres decididas e independentes os fazem tremer nas bases e perder o controle da situação. Mulheres que não pegam no pé, não cobram satisfações, não ligam a cada cinco minutos, ou que falam abertamente sobre sexo, fazem com que eles sintam-se inseguros.
Outro amigo meu disse que tudo isso era papo furado, que homens curtem sim, mulheres assim; mas, até hoje, ele não conseguiu me provar isso.
Sei que homens não gostam de mulheres desesperadas ou inseguras, gostam de mulheres divertidas, que mostrem desejo por eles. Mas o certo é que estes seres de outro planeta precisam entender que mulheres modernas são sensíveis e vulneráveis, sim. Gostam de ser cuidadas, mimadas e protegidas. Gostam que os homens escolham sua bebida durante um jantar, que abram a porta do carro para elas entrarem, que paguem a conta, que façam programas inusitados de última hora, que as surpreendam, que as encantem.
E na falta de homens que nos encantem, preferimos ficar sozinhas a estar mal acompanhadas. Li em um livro, uma citação de Lya Luft: “Afobados, amamos mal.” E é este realmente o problema.
Quantas mulheres conhecemos que se envolvem com homens que não valem a pena, muitas vezes uns “cafajas”, somente porque não aguentam ficar sozinhas? Deixam de ser elas mesmas, esquecem de si, idealizando uma relação que não existe, e ficam presas a ela por um bom tempo (às vezes para sempre), com medo de acabarem sozinhas novamente. Ser ou estar feliz, nem sempre significa estar com alguém; e sim, conquistarmos o que realmente desejamos para nós mesmos.
É deprimente ver em barzinhos ou restaurantes casais que sentam um de frete para o outro e passam o tempo todo sem dar uma palavra sequer. Não conversam, não têm nada a dizer um para o outro, não se divertem juntos. Quando vejo isso, lamento por eles e vejo que mesmo juntos, como casal, eles estão mais sozinhos que eu, que estou solteira.
A mulher que se desespera por estar sozinha transforma-se numa neurótica, ingressa numa busca incessante e cansativa do par perfeito e esquece que ele não existe; e, portanto, a pessoa que pode fazê-la feliz talvez esteja ao seu lado e ela é, naquele momento, incapaz de enxergá-la.
Ter alguém ao seu lado não significa obrigatoriamente que o casal deva viver junto sob o mesmo teto e, em contrapartida, viver junto sob o mesmo teto não é sinônimo de felicidade ou garantia de que o casal está junto de corpo e alma. Li em uma reportagem há tempos uma frase que resume tudo: “fidelidade não é algo que se exige de alguém, e sim, que se oferece para alguém”.
Fidelidade é uma decisão e não uma imposição.
Há algum tempo, comprei um quarto novo para mim. Com ele, uma cama nova, alta e espaçosa. Meu pai, em uma visita à minha casa, disse:
- Mas filha, para que uma cama tão grande, se tu dormes sozinha?
- Paizinho... é esse o objetivo, usufruir da cama nova acompanhada.
Sei que não sou a única a ir para a cama desacompanhada em 95% das noites do ano e isso não me deixa deprimida. É somente uma questão de escolher com quem eu vou dividir o espaço da minha camona e meu edredom. E, infelizmente, nem todos os homens que apareceram até agora na minha vida, nos últimos três anos de solteirice, fizeram jus a isso.


Karime Abrão

12 comentários:

Anônimo disse...

Ka, tem muito excesso nesse assunto. Claro que de homens bundões o mundo está superpovoado. O mesmo valendo para mulheres com vocação para Amélia. Mas dizer que a macharada não quer mulher com altos predicados não é bem verdade. Senão, as divas hollywoodianas não teria milhares (ou milhões) de adoradores dispostos a dar os dois olho em troca de tê-las em seus braços. Posso dar como exemplo duas representantes locais, Katiuscia Canoro e Grazi Massafera, que antes de serem famosas pouco chamavam a atenção e hoje são mega-assediadas. Aqui em Curitiba tenho uma amiga médica renomada e quarentona que está assim de caras atrás dela, e esses são só alguns exemplos porque não parei para fazer lista. Como eu disse, homem bundão e machista tá cheio por aí, e eles vêm ao encontro do que você colocou no post. Mas a generalização é complicada, porque as estatísticas não são muito cúmplices da tese, basta folhear rapidamente as revistas de celebridades.
Claro que sou suspeito, pois estou falando como representante da classe. Mas acho que tenho meu grau de isenção, visto que em outro post com teor similar (da Daniele Camargo: "Apanhando Do Amor" - de 5 de dezembro) eu já havia me manifestado favorável à percepção de que falta culhões para muitos homens quando se trata de ter relações com "meninas superpoderosas". Só sou contra o linchamento moral de nós, homens, e esse certo tom de presunção que eu sinto, mas que pode ser apenas impressão minha.
Beijo e ótima semana, Ka.

Mario

Karime disse...

Opa, não estou apedrejando os homens. Muito pelo contrário, sou fã deles, tenho alma masculina e detesto fricotes femininos ou estrategias para "segurá-los".
Tu tá falando de celebridades, Mario. Os homens que correm atrás destas celebridades são homens que se encantam pela imagem que projetaram nelas. Estou falando de mulheres normais, e nem as classifico como superpoderosas. Mas mulheres normais e legais, bom partidos. Por que não como eu e minhas amigas, que de longe somos superpoderosas, mas sim, normais e muito legais.
Bjos assim assim mesmo.
Ka

Anônimo disse...

Ká, seguinte.
Entendo o que tu disse...mas preciso dizer algo. Eu acho que os homens tem e querem sim mulheres independentes, lindas, sucedidas e tudo mais como nós queremos o mesmo nos homens. Não queremos uns patetas, que não querem nada com a vida, que não tenham aquele ar de sobrevivência, e que não precise de você para fazer tudo. No universo masculino e femininmo, hás os dois lados, desde os homens maladandros e cafajestes mas também a mulherada que só apronta!O mundo é muito grande, as pessoas são diferentes e as personalidades e corações também. Como você disse, você está esperando alguém que você realmente possa dividir sua cama, e que ás vezes nós podemos ter alguém do lado e não exergar coisas boas nela. Digo isso pra você mesma: enxergue por outro lado as pessoas, especificamente, os homens, porque nem todos são iguais e no fundo se você espera, é porque acredita que alguém ainda pode corresponder e se aquecer com o mesmo edredon que o seu. E ai você vai mudar sua visão e acreditar que eles também amam!Não estou defendendo...sei que pode até ser uma grande maioria os cafajestes. Mas é que eu quando solteira aproveitei muito meu tempo e também achava todos iguais, mas agora namorando, vejo que existem homens que podem ser tão bom como pessoa e pra quem amam como uma mulher pode ser para seu companheiro e para si mesma.
De alguma forma você vai achar esse alguém e se doar como gostaria na mesma frequencia que ele se doará para você =)!

Beijos

Bia

Anônimo disse...

Gosto mais da definição de fidelidade da Martha Medeiros: "fidelidade é uma questão de publicidade". Ácida talvez, mas objetiva. O pior dos piores de tudo isso é alta estima masculina, não tem nada mais irritante do que homem ter que provar que é o "cara" pros amigos, absolutamente irritante isso.
bj bj Gabi

Karime disse...

Gabi!! Seja bem-vinda, amiga! Teu texto no Deus, daria outro, mais outro e mais outro post!
Bia... infelizmente, tu e o Mario entenderam o texto de uma forma cruel, talvez pq eu não escreva tão bem quanto vocês. Mas eu só estou falando que ser solteira, é uma opção para muitas mulheres, pq simplesmente, elas preferem estar sós do que compartilhar os lençóis com quem não vale a pena. Mas É CLARO que existem homens que valem a pena, principalmente, aqueles com quem a gente passa 8h num barzinho batendo papo, não vê o tempo passar e não dá vontade de ir embora. Mas caras desse tipo são raríssimos e valem um post, emoldurado. Beijos

absolutsubzero disse...

Oi Ka

Desnecessário entrar no assunto de quem exagerou aqui foi o Mario, pois em nenhum momento eu entendi que você estava falando de todos os homens, afinal para as regras sempre há as exceções.

Mas é bem difícil ser uma pessoa assertiva e muitas vezes com um comportamento agressivo que é encarado como masculinizado, o que eu acho errado, pois somos apenas mulheres que não tem frescuras. Apesar de que eu descobri que muito deste meu comportamento contestador e agressivo vem do meu caso de bipolaridade, mas isso daria um livro ou um outro post.

Os únicos ‘‘homens que não tem medo de mim’’ e de eu falar abertamente sobre certos assuntos como sexo, são os mais novos. Não sei realmente a razão, mas talvez um dia eu ainda desvende este mistério. Ou não.

Mas eu adorei seu post de segundo, já virei sua fã Ka.

Beijos desaforada e desaforado
Daniela

Karime disse...

Dani, esta teoria de homens mais novos talvez tenha fundamento. :)
Vixi, não seja minha fã. Tô longe de merecer.
Mario, Bia, Gabi, Dani...obrigada por suas opiniões! Isso é o mais legal do blog, provocar reações. E se isso acontece, é pq de alguma forma, o post é legal.
Beijos

Fer Bugai disse...

Oi Ka! Adorei o post, concordo contigo, melhor ficarmos solteiras que compartilhar lençóis com quem não vale a pena... Acredito que certos, alguns homens não entendam determinadas posturas das mulheres principalmente aquelas que batem de frente com eles, pode ser coisa de cultura e quem sabe talvez vá um tempo até acostumarem com as atuais mulheres que já não são mais Amélias rsrs. Mas claro isso não é generalizado sempre haverão exceções rsrs e nós enquanto isso vivemos solteiras e felizes :)

Beijo
Fer

Dóris Hess disse...

E aí, PEOPLE DA KÁ!

Show de bola a polêmica, amei! No meu blog postei um texto (hoje) que fala sobre FIDELIDADE MASCULINA E SEDUÇÃO. Fiquem a vontade em opinar, ok?

Quanto as questões colocadas pela Ká, não as enxerguei pelo modo mais radical, mas pela vida real, pelas experiências. E concordo com as experiências que a Ká coloca... os homens tem medo das mulheres bem resolvidas e fortes... isso acontece desde que somos meninos e meninas, pensem bem.

E vai mudar algo? Creio que não.

Mas sou muito otimista: apesar deles terem medo sim, a gente acaba tendo opções. Muitos meninos... YES!

Ficar sempre sozinha na cama, não é legal; mas ficar por ficar com alguém, como aquele casal que a Ká falou, sem nenhuma similaridade e sem nada a ver um com o outro, é horrivel. Concordo com vc, Karime: nesse caso, é bem melhor usufruir da cama, sozinha. Mas ás vezes, convidar um lindinho que valha a pena. E tem vários que valem...

E uma correção: voce escreve muito bem, amiga. É que as palavras nem sempre são compreendidas por todos, da mesma forma. Depende de nossas experiências e nossos momentos. O bom mesmo, é estarmos todos aqui, discutindo algo tão maravilhoso, que é a união (com sexo, eba!) entre homens e mulheres. Com emoção, sempre.

Anônimo disse...

Parabéns , Karime Teus textos estão cada vez melhores. Isto me dá muito orgulho. Concordo em genero e número com o q.vc falou;é tudo mto verdadeiro. Um beijão Suzana

Anônimo disse...

Ká, de maneira alguma você não escreve tanto quanto qualquer outra pessoa.
Cada um tem a sua opnião e diferentes formas de mostrar e eu compreendi o que quiz dizer!
Como eu disse..você ainda vai achar alguém que irá dividir o mesmo edredon..não precisa muitos homens bons no mundo..e sim pelo menos um que seja para você!
Mas também espero que minha opnião lhe tenha valido alguma reflexão!



E não importa o que tu ache e pense, você é fera nos textos!


Beijos

Bia

disse...


Gostei muito do texto... homens bundões combinam com mulheres bundonas!!! Eu não me achando bundona, aguardo o meu homem não bundão tb! Ah... e sobre a solteirice... bom... hoje o Haiti, os flagelados do RS e os famintos da Africa me preocupam muito mais do que estar solteira...
bizu bizu