quarta-feira, 13 de janeiro de 2010

Separatismo Sulista X Bullying


Devido a profissão do meu pai, tive a oportunidade de morar em diversos estados brasileiros.
Em 1989, eu tinha 15 anos e minha família foi transferida da região Centro-Oeste para uma cidade do interior da região Sul. Neste novo lugar, quando me dirigi para fazer matrícula na escola, fui muito bem recebida pela secretária que foi simpática e atenciosa. Ela pediu para que eu preenchesse uma ficha com meus dados pessoais onde constava: endereço, série em que desejava estudar e cidade onde nasci. Naquele mesmo instante, um professor, com calça rasgada e muitas tatuagens, entrou na recepção e disse para a secretária:
- Quero ver as fichas dos alunos novos! Quem não for aqui do Sul se lascará comigo!
Quando este mestre saiu, a moça fez uma cara de reprovação e continuou o seu trabalho.
Já no primeiro dia naquele colégio descobri que teria aulas com o estranho professor. Os meses se passaram, tudo estava indo bem até que um dia este mestre encarou-me e exclamou em voz alta:
- Pessoas de outros estados não prestam! Por isto o Sul deveria se separar do resto do Brasil!
Neste instante fiquei quieta e não levei como provocação pessoal. Porém, de repente, ele me apontou e disse:
- Vejam o caso desta menina aqui! Ela é gorda, peluda e lésbica porque veio de outro estado! É a laranja podre que contaminará as outras!
Após escutar estas palavras, saí correndo e fui direto para a sala da coordenadora com o objetivo de reclamar sobre esta atitude do professor “skin head”.
Realmente, a ação dele foi um ato incorreto que destacou o seu grau de intolerância. Não podemos aceitar este tipo de comportamento, principalmente vindo de um educador. Pois se este tipo de ideologia se proliferar em nosso país, o Brasil corre o risco de sofrer atentados de grupos separatistas, como o do ETA na Espanha.



Luciana do Rocio Mallon

7 comentários:

Karime disse...

Lu, deus que me perdoe, mas não consigo acreditar que haja um animal destes dando aula. Prefiro crer, que tu criastes esta história em função do blog. Mas, se essa barbaridade existe, que ele tenha seu castigo, porque realmente é um absurdo. Os estados do sul do Brasil são calorosos e receptivos aos visitantes. Tanto é assim, que os artistas adoram fazer shows e espetaculos aqui no RS. Não podemos tomar por base um abobado preconceituoso como este, generalizando isso.
Beijos!

Fer Bugai disse...

Nossa Luciana muito interessante sua história!! Fico feliz que hoje em dia os procedimentos escolares já são diferentes e sofreram mudanças!!! No entanto muita coisa há que se mudar ainda, cncordo com vc o fomento as preconceito pode gerar graves conseqüências...

Beijos
Fer

Anônimo disse...

Nossa, que cara ignorante!
Eu em!


Beijos

Bianca

S disse...

Oi Luciana, tomando o cuidado com generalizações, eu também já ouvi manifestações desse tipo vindo de pessoas do sul.
Isso tem a ver com a desvalorização do brasil e do brasileiro. Essas pessoas se acham diferenciadas, mais civilizadas por serem mais claras, terem ascendencia européia e não serem tão miscigenadas como nós.
Esses professor, como educador e responsável por uma turma, jamais poderia ter feito isso. Ainda que posse para "causar" ou fazer uma piada.
É através de simples piadinhas como essas que vemos manifestação de intolerância e preconceito.
Se vc quiser, pode até processar a escola e o professor por constrangimento ilegal. Dá um dano moral isso!
Beijos e boa sorte!

Anônimo disse...

É para se ver que há formas e formas de se ser nazifacista.
Beijo, Luciana.

Mario

Anônimo disse...

Desculpa, mesmo... mas acho que existem duas possíveis interpretações para essa história: 1 - se for ficção, foda-se o cara pq foi um imbecil, preconceituoso e totalmente fora da realidade. e 2 - se for verdade, me perdoe, mas senão houve denúncia contra o cara é pq vc foi muito submissa..

beijos e boa sorte..

angelica

André Brandão disse...

OLÁ CAROS SULISTAS….

Eis um NORDESTINO que fala com vocês. (Só em falar isso sei de todos os estereótipos que possam vir a mente).

É um DIREITO de um indivíduo não ficar mais casado com uma pessoa. Ok. Não seria certo também se o desejo de um povo que queira se separar do país seja negado. Ok também. Se a maioria do povo sulista não se sente integrante do país, deve se separar.

A anos sou a favor de uma lei “Importação zero, imigração zero” e o fim do que chamo de “bolsa consumo” que é na verdade o ICMS deste país.

Sinto em dizer que, ao contrário da cultura popular e do que subentende-se da TV (leia-se Globo mais afincamente) o Nordeste NÃO É SUSTENTADO pelo sudeste ou pelo sul. Alguém aí é sustentado por Bill Gates? Não? É a mesma coisa. O que “sustenta” é o CONSUMO. Milhões de pessoas que compram o Windows 2000 é que sustenta a riqueza de Bill Gates.

Ao contrário da crença popular, rasa e esteriotipada, pro Nordeste seria uma revolução isso. Pois a TV que o nordestino compra, seria fabricado na região. O microondas, a geladeira, o carro, os produtos de limpeza, etc…TUDO. Passaríamos por uma revolução positiva, da produção, da industrialização.

O PIB do Nordeste, hoje, SEM ESTAR INDUSTRIALIZADO, neste ano de 2013 já é MAIOR que o PIB do Sul. Sem políticas nacionais desenvolvimentistas da região, aqui nasceram a maior empreiteira do Brasil (Odebrescht), uma das maiores construtoras do país (OAS, que fez até o estádio do grêmio), a Insinuante que fundiu-se com a Ricardo Electro e fez a 2 maior rede de lojas do país, a petrolífera OOG, e a maior petroquímica do país, a BRASKEM. Tudo nasceu no nordeste. Felizmente vai contra o estereótipo criado por principalmente vocês do sul.

SOU A FAVOR, SE QUEREM, MAS VAMOS GRADATIVAMENTE. Tudo que é produzido FORA do nordeste, passaria a ser produzido dentro da região, causando o maior processo de desenvolvimento e industrialização da história.

Não é justo que multinacionais se instalem no sul/sudeste e só façam exportar para o Nordeste. Um outro país o sul, obrigaríamos multinacionais a não exportarem do sul para o nordeste.

Outro ponto positivo é o ICMS. Imposto ESTADUAL retido na fonte (consumidor). Uma fábrica tá no sul, o governo do estado do sul cobra da multinacional 10% de ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços). O produto custa então 1000 reais. 100 reais é o governo DO ESTADO que arrecada, mas quem paga a conta é o consumidor lá longe…..

Isso mesmo. O Sul livre, o Nordeste veria-se livre de pagar seu cidadão financiamento direto para um governo estadual que ficasse a milhas de distância.

O modelo de desenvolvimento MAIS EFICIENTE da história da humanidade é a SUBSTITUIÇÃO DE IMPORTAÇÃO. Substituindo importação vindo do sul/sudeste, com as multinacionais OBRIGADAS a produzir localmente eu veria minha queria região do Nordeste crescer como nunca antes em sua história.

VAMOS NOS SEPARAR, MAS AOS POUCOS. Leva-se TEMPO para uma fábrica que tá no sul, e produz para o Brasil todo, ter que fechar as portas por ser “proibido” de exportar para outra região ou estado. Assim…se tem uma fábrica de CDs (compro e vem de uma região do RS que nunca tive, nem visitei, nem conheço) exporta para o Nordeste, por favor, tem que parar com isso, fechar um turno de produção, se tiver desemprego, vai ser temporário pois o sul é o “mais desenvolvido” então, passaria a fábrica a estar NO NORDESTE.

Com política macro-economica sem voltar para cá, já somos em termos de riqueza bruta, MAIS RICOS QUE O SUL. Com uma política de “IMPORTAÇÃO ZERO, IMIGRAÇÃO ZERO” , sem comprar nada vindo de baixo, sem ter que financiar outro estado através do ICMS, e COM NOVAS INDÚSTRIAS surgindo a cada dia para a região….O Nordeste vai se desenvolver muito.

GRATO A VOCÊS.
CONTINUEM.
Nessa relação de mercado, ao contrário do que os sulistas pensam, quem sai perdendo SOU EU.

SUL INDEPENDENTE….e nenhum produto venha par ao Nordeste E seja produzido aqui. Obrigado Sul….”Nordeste livre” é o que de fato, economicamente, aconteceria