terça-feira, 16 de dezembro de 2008

Por que não deixar rastros?

Não acredito que alguém consiga fazer algo e não deixar rastro. É humanamente impossível. Acredito até que a pessoa consiga omitir ou esconder por certo período, mas nada é 100% livre de descoberta.



Já diz o velho ditado, a mentira tem perna curta. Você pode até achar que engana, mas uma hora ou outra dá com a língua nos dentes e põe todo o plano infalível no lixo. Ok, você pode até ser o “Ás” da enganação, da omissão ou coisa do gênero, mas não se esqueça que as pessoas têm olhos, ouvidos, instintos, amigos, conhecidos e mais: as pessoas têm língua. É isso mesmo, língua, que geralmente é maior do que a boca e sempre se mete onde não deve. Essas, na maioria das vezes, são pessoas desocupadas que vivem para descobrir falhas alheias para deliciarem-se com a discórdia.
No caso de um crime, as coisas podem complicar-se ainda mais, tudo vira uma bola de neve. Quem assiste a novelinha das 20h da “Grobo” tem um exemplo perfeito disso. A tal da Flora é uma descarada na arte de tentar não deixar rastro. No começo, eu até a achava perfeita, mas aos poucos as mascaras foram caindo e as falhas foram aparecendo. Daí é só uma questão de tempo para que os rastros sejam descobertos. Sem contar que cada rastro que ela tenta apagar complica mais ainda a sua situação, mas isso também é um problema dela e de quem age como ela.
Outro exemplo é o dos idiotas dos “voluntários” de Santa Catarina que foram pegos essa semana roubando doações que deveriam ser destinadas às famílias necessitadas. Por favor, que amadorismo. Será que eles pensaram que num galpão lotado de mantimentos, roupas, etc, bancado pelo governo, não teria nenhuma camerazinha que fosse para fiscalizar o que acontece lá? Ou que todas as pessoas são baixas e sujas como eles que não denunciariam o que vissem de errado ocorrendo? Mas bem feito pra eles, um bando de caras de pau.



Mas ok, não vou ficar expondo minhas revoltas aqui. Eu, como não sei e nem quero saber mentir, omitir, ocultar ou coisa parecida fico bem tranquila.
E deixo a dica:
“Não há nada de oculto que não se torne manifesto”. Fora que mentir é um exercício absurdo de memória, já imaginaram ter que lembrar de todas as mentiras ditas e a quem foram ditas? Dizer a verdade é bem mais vantajoso, uma vez que não é preciso lembrar-se do que foi dito antes.

Bom, é isso aí pessoal, vamos dizer a verdade. Não precisamos fazer nada que se tenha que apagar os rastros, somos livres para ir e vir.

Bjks e até a próxima...
Lu Oliveira

4 comentários:

Anônimo disse...

ta bom Lu, uma hora aparece, isso é verdade mas sabe que teve colas minhas que nunca foram descobertas?rs

Parabéns prima
Beijooooo grande da Bia

Anônimo disse...

Roubar de quem já não tem nada é uma situação tão abjeta que a gente tem mesmo de encontgrar todos os canais pra denunciar.
Mandou bem, Lu. Beijão.

Mario

*Lu* disse...

Foram sim Biba,talvez não na hora em que deveriam ser, nem por quem deveriam ser descobertas, mas neste exato moemnto estamos descobrindo quer vc colava e provavelmente ainda cola hahahhahaha.... bjks linda.

Ai Mario nem me fale, fiquei tão revoltada com isso que naõ tive como tender p texto para outro rumo, desculpe o desabafo, mas é indignante. Bjks

Luciene de Morais disse...

Concordo em Gênero, Número e Grau com a LU. Falar a verdade é muiiiito fácil, e muito mais f´cail de viver, também.
bjks