segunda-feira, 26 de outubro de 2009

Semana de tema livre

Arriscar É Preciso. Sempre.




Tem gente que arrisca sempre e gente que não arrisca nunca.
Tem gente que arrisca tudo e tem gente que não arrisca nada.
Não sou nenhuma estudiosa do comportamento humano, mas arriscar faz as pessoas amadurecerem e fortalecerem-se diante das dificuldades que surgem ao longo da vida (parece frase de vídeo de auto-ajuda).
E mudar profissionalmente também é uma forma de arriscar. Para uns, representa o ápice da dificuldade, traz noites insones, falta de apetite, ou excesso de... Para outros, é fácil, como trocar de camisa.
É muito bom trabalhar cinco dias por semana, ter estabilidade financeira, saber quanto vamos receber no final do mês e fazer planos com este valor; iniciar e terminar a jornada de trabalho todos os dias no mesmo horário ou saber o que vai acontecer durante o dia, todos os dias. Isso nos traz segurança e tranquilidade, mas, de certa forma, nos limita, pois permanecer nesta zona de conforto faz com que esqueçamos o quanto é importante para nossa realização pessoal aprender mais e encarar novos desafios.
E assim, deixamos nossos sonhos e objetivos escondidos lá no fundinho da gaveta junto com o grampeador ou com o rolinho de durex.
Arriscar-se profissionalmente é testar a si mesmo, é ultrapassar seus próprios limites, colocar a prova sua capacidade de enfrentar novas situações, mesmo com medo. E é neste momento que nossa determinação deve ser maior que tudo, inclusive que o medo.
Desempenhar com excelência a profissão é ótimo, mas melhor ainda é encarar um novo desafio.
Conhecer melhor a si mesmo traz maturidade, desenvolver novas habilidades fortalece a autoconfiança e o bônus de tudo isso é a recompensa pessoal e financeira.
Outro dia li um texto que dizia que a maior dificuldade em programar mudanças (de qualquer ordem) está em não amar verdadeiramente o que se faz; porque quando amamos o que fazemos, mudar passa a ser uma necessidade para eternizar o que amamos.
Viver é arriscado e perigoso, e escolher novos caminhos nos traz insegurança, ansiedade e taquicardia, mas é vivendo e arriscando que aprendemos mais, que crescemos, que nos tornamos livres. Pior do que arriscar e não dar certo, é não arriscar de forma alguma, porque podemos deixar de realizar um grande sonho, simplesmente porque não tentamos. E, de novo, vale o clichê: melhor arrepender-se de ter feito algo, do que arrepender-se de não ter feito nada.
Arriscar é como saltar de um penhasco sem pára-quedas, acreditando que no meio da queda vamos aprender a voar.
E é isso que vou fazer. Quem sabe no meio do caminho eu não aprenda a voar?




Karime Abrão

7 comentários:

Camila disse...

Ka, de fato, novos desafios podem ser assustadores.
Mas acredito que, pior do isso, é estar perdida no que diz respeito a vida profissional, como eu estou.
Faço algo que gosto bastante; mas em contrapartida, o campo de trabalho é hiper restrito. Também fui tomada por uma insegurança que fez com que me auto-sabotasse das mais diversas formas. Resultado: me ferrei.
E p/aumentar ainda mais a confusão, há pouco tempo me vi apaixonada por outra profissão. Às vezes penso que talvez minhas habilidades pudessem ser melhor aproveitadas, não sei...
Isso porque ainda sequer comecei. Não dá nem para descrever a agonia que me dá de não saber como será o meu futuro.
Tenho certeza de que você vai conseguir passar por tudo isso, e sair vitoriosa.
Beijos!

Karime disse...

Obrigada, Mila! Poderia fazer uma réplica aqui e argumentar de várias formas te incentivando a ir adiante, a acreditar em ti. Mas prefiro reservar esta conversa para nossos papos no MSN e se Deus quiser, pessoalmente! Bjão com carinho.

Anônimo disse...

"quando amamos o que fazemos, mudar passa a ser uma necessidade para eternizar o que amamos" - só essa já valu o post.
Beijo, Karime, e obrigado por me fazer começar bem a semana.

Mario

Karime disse...

Sim, Mario...esta frase que tu mencionastes também me marcou, no texto que li. Me fez ter menos medo de arriscar.
Bjo prá ti tb e boa semana prá todos nós.

disse...

As asas para voar nós temos... só esquecemos de usá-las...

Ainda bem que as tuas estão bem abertas para enfrentares o novo horizonte que se aproxima!

Te joga! Te atira! 1, 2, 3 e já!!!!

bj bj

Karime disse...

Que amor, Re! Obrigada pelo comment aqui, AMIGA!

Bjos

Anônimo disse...

Quando li teu texto, lembrei de uma frase do Martim Luther King: "É melhor tentar e falhar que preocupar-se e ver a vida passar. É melhor tentar, ainda que em vão, que sentar-se fazendo nada até o final. Eu prefiro na chuva caminhar, que em dias frios em casa me esconder. Prefiro ser feliz, embora louco, que em conformidade viver. "
Beijos,
Rubia