quinta-feira, 23 de abril de 2009

Para que sejamos livres, a liberdade será nossa própria substância!



Nos libertar daquilo que nos prende em nós, é tarefa muito difícil comparada a qualquer outra situação, a liberdade psicológica requer de nós muitas vezes muito mais do que estamos dispostos a pagar, a ceder a agir...Extinguir de nós certas coisas que nos mantem prisioneiros nem nos anular, é trabalho arduo, trabalho conjunto, que parte cabe a mim(vocë), parte cabe à aqueles que conosco estão...no entanto, para isso ser possível, teremos(todos) fazer uso de um(ao meu ver) dos primeiros princípios exigidos pela propria essencia de ser livre...
TRANSPARENCIA, SINCERIDADE, VERDADE...
E seguido disso...
MUITA FORÇA E VONTADE DE SER REALMENTE LIVRE...
Sem isso, o máximo que iremos conseguir é afastar de nós, pessoas que de fato podem nos ajudar...
Ninguém tem bola de cristal, e consegue ver o labirinto que nossas mentes nos mantém...ninguém tem bola de cristal para ver com segurança o que nos atinge....PRECISAMOS QUERER NOS LIBERTAR ..E se fizermos isso, um quarto das chaves estão nas nossas mãos...
SOMOS LIVRES PARA EXPOR O QUE NOS PRENDE...com mais isso metade das chaves já nos é dado, faltando pouco para chegar ao nosso melhor, e conseguirmos atingir o pico...astear nossa bandeira...
Aos 16 anos, eu me "reconhecí" como sendo homossexual, em uma cidade com 10.000 mil habitantes no interior do Paraná...eu tinha duas opções...ou eu esconderia isso, ou eu assumiria minha sexualidade e com isso tudo mais que certamente acarretaria...ainda que eu soubesse que turbilhões de situações negativas estariam por vir...eu escolhi assumir...eu decidi, aos 16 anos, que eu seria uma mulher livre para viver e ser feliz...
Confesso que não foi tarefa fácil..."carreguei cruz", "fui enforcada e queimada em praça pública"...eu acordava todos os dias, e a primeira coisa que eu lembrava é que era assim...
Mas não cedí... e mostrei que ainda que "diferente" do conceito de normalidade que nos é imposto(em especial a mim), eu tinha minha dignidade, minhas qualidades e defeitos...enfim...foi com aqueles princípios acima, que conquistei o meu direito de ser feliz...ou abdiquei do dever de ser infeliz...a verdade é que, sempre escolho ser livre, e me desprender do que me mata diariamente...das minhas amarras, em especial as psicológicas...EU SOU UMA MULHER LIVRE!!!

Seja o Mártir da sua independencia...

Que a liberdade seja nossa própria substancia...
Beijos ao vento...

Maria Jaqueline... hoje, mais livre do que nunca...

9 comentários:

Anônimo disse...

Muito legal, Maria. Coragem admirável. E personalidade indiscutível.
Beijo, Desaforada internacional.

Mario

Anônimo disse...

Obrigada Mário, obrigada por nos dar um canal para podermos usar uma das mais importantes vertentes da liberdade...
Beijos...

Nunca se vence uma guerra lutando sozinho
Voce sabe que a gente precisa entrar em contato
Com toda essa força contida é que vive guardada
O eco de suas palavras não repercutem em nada

É sempre mais fácil achar que a culpa é do outro
Evita o aperto de mão de um possivel aliado, é
Convence as paredes do quarto, e dorme tranquilo
Sabendo no fundo do peito que não era nada daquilo

Coragem, coragem, se o que voce quer é aquilo que pensa e faz
Coragem, coragem, eu sei que voce pode mais

É sempre mais facil achar que a culpa é do outro
Evita o aperto de mão de um possível aliado
Convence as paredes do quarto, e dorme tranquilo
Sabendo no fundo do peito que não era nada daquilo

Coragem, coragem, se o que voce quer é aquilo que pensa e faz
Coragem, coragem, eu sei que voce pode mais ...
Raul Seixa

Maria

Priscila disse...

Bravo!!!

Anônimo disse...

a melhor confissão!

Anônimo disse...

Talvez mais dificil to que libertar-se da mediocridade, seja liberta-se do Ego .. que nos impede de sermos livres Maria.... Bzão

.:*Mandy*:. disse...

Nossa! Tô ADORANDO o tema da semana(uma vez que estou me identificando com cada um dos textos postados). E o seu texto está lindo, Maria!
Realmente a liberdade mais difícil de conquistar é a psicológica. Não adianta remédinho nem nada, é uma verdadeira batalha a que temos de travar conosco mesmas para rever os conceitos e lutar pelo que se quer e acredita.
Comecei a desbravar os caminhos tortuosos da minha cabeça (sofro de depressão e ansiedade há anos e anos) graças a muita vontade própria (defini 2009 como sendo o ano da minha liberdade mental!) e doses semanais de terapia. Fiz avanços significativos e, com muita fé, acredito que conseguirei ainda mais.
Faço das palavras do Mário as minhas. Parabéns pela coragem, garota!
Beijos ;************

Anônimo disse...

Cê tava sumida hein moça... bacana o post e a coraqem..
bj da Lívia

Anônimo disse...

Anonimo, obrigada...penso que essa seja a forma mais tranquila que eu falei sobre minha sexualidade...

Pri, fico feliz em saber que leu o texto e visitou nosso blog...

B, feliz em te ver aqui comentando...

*Mandy* apareça sempre viu...e comente tbm...

Livia qria, voltei...rsrsrs...e que otimo que vc ficou por aqui...

Anônimo disse...

Ótimo texto como sempre Jaque, parabéns!
muitas vezes me pergunto até que ponto nos permetimos viver essa liberdade!
É um longo processo, ainda estou engatiando,rs!
Beijos!

Jaque Fraid!