terça-feira, 20 de maio de 2008

Moralidade e tabus

O tema desta semana me faz divagar...
Os Tabus foram criados pelos indivíduos dentro de uma Moral, marcada pelo bom senso e que regem a humanidade. E de tempos em tempos vai se modificando.

Citando Nietzsche: - Preferir um bem pequeno a um altamente valorizado é tido como imoral, tanto quanto preferir a boa vida à liberdade. Mas a hierarquia dos bens não é fixa e igual em todos os tempos; quando alguém prefere a vingança à justiça, ele é moral segundo a medida de uma cultura passada, imoral segundo a atual. “Imoral” designa, portanto, que um indivíduo ainda não sente com força bastante os motivos mais elevados, mais sutis e mais espirituais trazidos pela nova cultura: designa um ser atrasado, mas apenas numa diferença de grau. – A própria hierarquia dos bens não é estabelecida ou alterada segundo pontos de vista morais, mas com base na sua determinação vigente é decidido se uma ação é moral ou imoral.

Na Idade média, o homem que se masturbava era considerado louco e internado num sanatório. Há décadas a homossexualidade era o grande tabu, embora na Grécia antiga fosse prática comum assim como as relações incestuosas.
Hoje, ao contrário, a masturbação é considerada necessária e saudável e a homossexualidade é uma realidade cada vez mais comum nas ruas. As velhas gerações estão aprendendo a aceitar e as novas, parecem já acreditar ser parte da natureza humana. Os hippies, metaleiros, punks, new wave pariram a crescente onda: os Emos. Adolescentes que se dizem mais sensíveis, acreditam no amor e na bissexualidade.

Já o incesto ainda é considerado tabu. Se considerarmos como motivo pra isso, que o principal objetivo do sexo seria a procriação e 50% dos frutos de incesto nascem com algum problema genético, então, a homossexualidade obviamente também jamais poderia ser aceita, certo? Ou talvez o avanço na tecnologia de bebês de laboratório seja diretamente proporcional ao número de homossexuais se assumindo...rs

Sem considerar o caso atual do austríaco que estuprou e prendeu a filha por 24 anos, pois ele sim, com certeza deve ser um atrasado como diz Nietzsche, mas em vários graus... Temos o exemplo do casal de irmãos alemães, Patrick e Susan, que se conheceram na adolescência, se apaixonaram, tiveram 4 filhos e lutam judicialmente por essa família. Seriam eles também atrasados espiritualmente ou um dia a relação de amor incestuoso pode se tornar prática comum e aceitável?

Neste fim de semana um espanhol me disse que em Madrid, um homem não querer pelo menos experimentar outro homem, já é visto com preconceito.
Será que a militância homossexual pode se tornar tão radical e com cada vez mais força, que um dia ser heterossexual será tabu?

Parece que até o velho tabu “Política e Religião não se discute” está caindo, pelo menos no aspecto política... Já estava na hora, não?
Mazé Portugal

8 comentários:

Anônimo disse...

Boa reflexão, Mazé. Numa HQ dos anos 80 (a clássica "Animal") havia uma história em que certo personagem fazia pouco caso de um amigo por ele ser heterossexual - um retrógrado, pelo que dava a entender. O lance é aderir ou ir se preparando para virar aberração.

Charlie

Verônica disse...

Gostei muito! Um olhar mais profundo. Aprendi bastante. Boa leitura!
Verô

Anônimo disse...

ainda bem que não moro na Espanha

Anônimo disse...

Ma,
ótima reflexão. Os tempos de fato estão diferentes a ponto de ter tido a informação de em uma escola de ensino médio da "avançada" curitiba, 50% dos jovens são bissexuais ou tiveram experiências bissexuais. Outro estudo que não me recordo o prazo exato nos diz que no futuro, a tendência, é que sejamos todos bissexuais.

Apesar de considerar essa movimentação legítima e entendê-la como uma genuina quebra de paradigma e de preconceitos, declaro-me imcompetente para assumir esse desafio pessoalmente. Sabe porque? Porque gosto muito de mulher. E, nesse momento, de uma mulher em especial...
Essa sensação me é tão suficiente agora que nenhuma outra situação poderia me tornar mais feliz.
Talvez porque tenha encontrado aquilo que sempre procurei. Como diria o poeta:
"Somente quando encontramos o amor, é que descobrimos o que nos faltava na vida"

Um beijo

German Guy

Desaforadas disse...

Charlie, talvez na nossa geração ainda não presenciemos, mas vc já imaginou a realidade que o teu sobrinho vai viver? No que ele vai acreditar? E vc não poderá fazer nada...

-----
Muito obrigada, Verô. Cada tema me traz uma inspiração diferente, embora alguns simplesmente não dão...rs É pra vc ver como eu de vez em quando posso ir mais fundo. Não é incrível? rsrs

----
Anônimo, eu prefiro acreditar que meu amigo tenha se referido a algum gueto específico por onde ele andou.

----
German guy, que bom pra vc. Mas o que eu não entendo é vc me cantar na semana passada aki no blog e agora confessar que está interessado em uma mulher específica...rsrs Brincadeira...De qquer maneira, sorte pra vc e pra ela e que essa sensação seja eterna enquanto dure.

Mazé

Anônimo disse...

Meus sobrinhos (gêmeos) serão espadas como o tio! E ai da Desaforada que duvidar!

Charlie

Anônimo disse...

Ma,
German Guy não é deus (graças a Ele mesmo) mas da mesma forma Eu escrevo certo por linhas tortas...

Agradeço os votos de sucesso na relação e procurarei transmitir o mesmo para minha amada.
Um beijo

German Guy

PS: Sobre te cantar na semana passada, não fique enciumada. Tem amor para todo mundo. Para vc e para a mulher específica. rsrsrs

Anônimo disse...

...Estou adorando conhecer esse espaço de vocês,mas sinto que existe um certo "preconceito",quando falam de homossexualidade,acho que é um assunto muito interessante a ser discutido com devido respeito e neutralidade,sou lésbica,tenho 25 anos,e adoraria ler sobre o que heteros pensa sobre,no mesmo tom e gabarito que usam para tratar tantos outros temas...Beijos para vocês...