sexta-feira, 23 de maio de 2008

Padre tem TABU?


Tabu nada mais é do que uma orientação à sociedade. Os tabus são utilizados com o objetivo de fixar limites e orientar comportamentos, inibindo ações indesejáveis para determinado grupo. Pra mim, os maiores impositores de “limites” são os padres, pastores, enfim, aqueles que pregam “em nome do senhor”. O próprio conceito diz que tabu pode ser algo “sagrado”, que “protege” o grupo. Protege do quê? Da esbórnia? Usar saia comprida, cabelos longos, descansar sábado, não usar métodos contraceptivos... Isso é sagrado? Protege? Será que o tamanho do meu cabelo, ou a minha aparência pode refletir o tamanho da minha fé? Será que isso é doutrina de Jesus ou do homem? Não foi Jesus quem disse “amai-vos uns aos outros”? Então, quem foi que disse que mulher não pode amar mulher?


“Os tabus têm o relevante papel de orientar o comportamento dos
membros da organização, demarcando áreas de proibições e colocando em evidência
o aspecto disciplinar da cultura, com ênfase no não-permitido.

As organizações zelosas de suas culturas costumam não reconhecer a existência de
tabus, elemento importante para preservar aquilo que realmente é tido como zona
proibida, salienta Freitas (1999). O fato de não serem reconhecidos não
significa que não existem. Se for certo que as organizações têm valores
considerados positivos, também é certo que elas têm uma definição, ainda que
implícita daquilo que deve ser excluído, que não pode nelas encontrar abrigo,
que não deve ser falado.”

(NASCIMENTO, Angela Aparecida do; VIANA DIAS,
Bernadete Oliveira Sidney. Elemetos da Cultura Organizacional: Um estudo de caso.)


Não quero concluir a idéia... Só queria mesmo polemizar a respeito. Fazer pensar... Fazer com que cada um se questione e perceba a montoeira de tabus implícitos nos ditos livros sagrados e em tantas outras relações diárias que temos. Enfim, acredito que o que vale, a lei universal, é o amor... Seguindo isso, nada mais importa. Principalmente esse monte de regras impostas.



Mônica W. - gerando polêmica na sexta pós feriado


2 comentários:

Verônica disse...

Mô, gostei do "Não quero concluir a idéia... ".
Realmente tem muita coisa distorcida por ai e por isso é necessário que se coloque em pauta alguns valores torpes que nadam tortos pelo mundo apenas para manter o poder de poucos.
Verô

Anônimo disse...

Fecho com a Verônica, Mopi. E que prevaleça o bom senso, ou seja, o amor.
Beijo.

Charlie