quarta-feira, 16 de setembro de 2009

Diferenças Entre Assexualidade, Castidade e Frigidez


Há alguns meses, dei uma entrevista a um programa de televisão sobre assexualidade. O clímax da reportagem foi quando falei sobre as diferenças entre assexualidade, castidade e frigidez. Como muitas pessoas me perguntam sobre este assunto e o vídeo não se encontra no Youtube, resolvi escrever um texto abordando este tema.


Assexualidade é a característica de uma pessoa que não possui o desejo sexual e não se importa com isto. Exemplos: a cantora Susan Boyle e a atriz Jodie Foster, que confessou não sentir desejo sexual e, por isso, a mídia desconfia que seus filhos nasceram de inseminação artificial.


Já castidade é a privação voluntária do prazer sexual, como no caso dos padres que fazem voto de castidade. São Paulo comentou muito sobre isto nos seus textos. Reza a lenda que o próprio santo castrou-se para ficar sem desejos eróticos. Aqui está o principal conflito da questão: o fato de a pessoa prestar voto de castidade não significa que ela não tenha desejos carnais. Afinal castidade é diferente de assexualidade.

Já no caso da frigidez, a pessoa pode possuir atração sexual, porém, não consegue sentir prazer no auge do ato carnal. Muitas vezes a frigidez é causada por fatores orgânicos, como, por exemplo: anemia, problemas da tireóide e até depressão. Por isso é fundamental que a pessoa que tem este distúrbio procure um médico.




Luciana do Rocio Mallon

2 comentários:

Anônimo disse...

Muito esclarecedor, Luciana, gostaria de ter visto a entrevista. Para mim foi surpresa a definição de frigidez, eu acreditava que se tratava de incapacidade para excitação, e não para sentir prazer no orgasmo.
Beijo, Luciana.

Mario

Camila disse...

Quantas mulheres sofrem com este problema e fingem orgasmo apenas para agradar seus parceiros...

Luciana, só complementando o seu texto, acho importante mencionar que a maior parte dos casos de frigidez tem origem psicológica.
Sentimentos de culpa e vergonha provenientes de uma educação rígida na infância e adolescência, se misturam, que cria inconscientemente um bloqueio mental. Então, além do médico, vale ressaltar a importância de consultar um terapeuta.
Beijos!