quarta-feira, 23 de setembro de 2009

A Primeira Cueca A Gente Nunca Esquece



Na minha adolescência, sofri por ter problemas hormonais. Em 1988, eu morava em Brasília, mas, em 1989 , minha família foi transferida para uma cidadezinha do interior do Paraná, de apenas 5.000 habitantes. Lá, foi difícil me adaptar, pois as pessoas eram fechadas e um tanto preconceituosas. Na época, eu pesava 80 quilos e, devido aos meus problemas hormonais, eu era masculinizada. Por isso, não demorou para que surgissem as piadas e os deboches. Eu era chamada de Orca, A Baleia Assassina. Sem falar de que sempre cantavam aquela musiquinha quando eu passava:

- Maria sapatão, sapatão...

Como eu estava longe dos padrões de beleza exigidos pela sociedade, não consegui arranjar paqueras e nem namorados naquela época, o que aumentava mais a desconfiança das pessoas sobre a minha sexualidade. Uma vez, resolveram fazer a famosa brincadeira de amigo secreto no final do ano. Até que chegou o esperado dia. A brincadeira foi muito mal organizada, já que as colegas começaram a trocar presentes entre si sem nenhuma presença de um organizador adulto. Quando chegou a minha hora de receber o presente fiquei ansiosa. Recebi uma pacote vermelho com gatinhos desenhados. Então, todas as meninas começaram a gritar:

- Abre! Abre! Abre!

Eu abri e vi que meu presente era uma cueca preta e suja. Então, chorei e fui para o banheiro. Agora vejo que aquela cueca preta e suja estava preta de violência e suja de preconceito. Nunca mais me esqueci deste dia, porém vejo que ganhei uma espécie de vitória. Emagreci, com o tempo fiquei mais feminina, fui para a capital do Paraná e virei uma pessoa de prestígio na cidade de Curitiba. Enquanto as minhas colegas preconceituosas da cidadezinha do interior se casaram e ficaram com os corpos menos atraentes. Pois é: a primeira cueca a gente nunca esquece.



Luciana do Rocio Mallon

3 comentários:

Anônimo disse...

Ainda bem que o jogo da vida dá voltas, né, Luciana.
Beijo.

Mario

Camila disse...

Guto, você disse tudo, sem mais.
Beijos, Luciana, e parabéns (mais uma vez).

coisas da Linda disse...

a volta da vida é a melhor...xô pequenezas!! boa sorte e beijos