domingo, 4 de abril de 2010

Assessoria Irrestrita



- Alô!
- Nha-ooo-shfpt...
- Alô!
- ...
- Acorda!
- Quem tá falando?
- A Nicole.
- Não ouvi.
- Ni-co-le. Tô falando baixo, senão vão me ouvir lá fora.
- Lá fora onde? Que horas são?
- Fora do banheiro. São umas duas, mais ou menos.
- ...
- Acorda!
- Que você quer?
- Você disse que ia me ajudar...
- Ah, naquele assunto?
- É.
- Onde você tá?
- Na casa do cara.
- Que cara?
- Não interessa, um cara aí. Uma amiga me apresentou.
- Ele deve tá ouvindo tudo.
- Tá não. Também tá no telefone. Daí aproveitei pra vir no banheiro.
- E o que você quer saber?
- Se eu devo ou não.
- “Deve ou não” o que?
- Ai, você sabe!
- Tá, descreve o cara.
- Bonito, inteligente, elegante...
- Então dá de uma vez.
- Ai, você não tá ajudando.
- Tô sendo prático.
- Não tá, tá sendo superficial.
- Tô sendo homem.
- Tenta se colocar no meu lugar.
- OK, como você tá agora?
- Sentada no vaso, folheando uma Vogue com ensaio de uns vestidos do Givenchy...
- Não, eu quis dizer: você tá nervosa? Com medo? Com tesão?
- Ai, um pouco de tudo.
- Agora é você quem não tá ajudando.
- Não é isso. É que eu não sei se é o momento. Primeira vez que a gente sai...
- Nicole, a gente tem pouco tempo. Demorando aí no banheiro o cara vai achar que você tá passando mal.
- Então diz o que eu faço!
- Dê!
- Você só tá querendo voltar a dormir.
- Nicole, agora é sério. Você tá precisando é de macho. E urgente. Então, sai já desse banheiro senão eu mesmo vou me levantar e ir aí te comer!
- Grosso!
- Você tava precisando ouvir umas verdades. Além do mais, aceitou entrar no ap do cara, caput! Vai ter que dar.
- Mas...
- Chega, não quero ouvir mais nada. Saia e pule no colo do animal. Amanhã você me conta tudo. Combinado?
- Tá bom...
- Tá bom mesmo?!
- ... Tá.
- Então mande ver. A hora é essa. Ou você acha que ele te levou aí pra que? Falar de Givenchy?!

Fora do banheiro...
- Ai, amiga, mas tem certeza mesmo?
- Claro, agora, desliga esse telefone, espera ela sair do banheiro e ataca. Senão vou começar a botar fé nesse papo de que ex-gay não existe!
- Tá bom, obrigado pela força, amiga, te adoro.
- E engrossa essa voz!
- Tá bom (ham-ham), digo, TÁ BOM!
- Melhorou. Agora se enche de confiança.
- Ai, deixa eu respirar fundo (funga).
- Tá confiante?
- Ai, miga...
- Opa! Não fala nada. Agora não tem volta! Desliga esse telefone e avança.
- Tá bom...

A porta do banheiro se abre.
- Posso emprestar essa Vogue que achei no banheiro?
- Você gosta de Givenchy?...


Mario Lopes

7 comentários:

Karime disse...

hahahahahaha! puta que pareoo....
Muito boa!!!

Leticia disse...

Muito bom..ahuhsuahsua
Beijos padrinho

Leticia

Devaneios e outros venenos disse...

A-DO-REEEIIII!!!
isso poderia virar um seriado, né? bjo

Julianna disse...

Guuu..
Perfeeeito!! Rih mto akiii.. hehe..

Sdads!!

Bjus..
Juju =)

Julianna disse...

Guu.. Perfeito!! Rih mto akii!! Sdads d tii =)

Bjus..
Juju :*

Julianna disse...

Guu.. Perfeito!! Rih mto akii!! Sdads d tii =)

Bjus..
Juju :*

Anônimo disse...

Obrigado, Ka, Le, Ju, Juju, Juju e Juju.
Beijo a todas. :-)

Mario