terça-feira, 28 de outubro de 2008

Confissões de uma fiasquenta...


Pois bem, eu sou a rainha do bola fora. Desde criança me meto em confusões devido à minha mania de agir antes de pensar. Lembro uma vez, eu devia ter uns quatro ou cinco anos, época em que minha mãe trabalhava ao lado da casa da minha avó, onde eu ficava todos os dias a esperar depois da escola. Ela sempre saía às 18h. Um belo dia eu resolvi recepcioná-la no meio do caminho, saí feliz e contente, avistei uma mulher, mirei um ponto do infinito e fui correndo, toda faceira, me agarrei nas pernas dela e fui subindo o olhar, Jesus amado, quando cheguei no rosto da criatura, comecei chorar desesperadamente, de vergonha, é claro! Não era a minha mãe, sabe Deus quem era a mulher, mas era impossível não confundir, ela tinha a mesma altura, cabelos idênticos, vestido parecido com os dela, tudo igual, ela me olhou sorriu e me pediu para parar de chorar, mas a vergonha era tanta que nem falei com ela, corri para a casa da minha avó e só saí de lá quando a minha mãe de verdade chegou. Tadinha de mim. E o pior é que depois dessa, nunca mais parei de cometer esses tipos de gafes.
Passo por cada uma que se eu fosse minha amiga morreria de vergonha de andar comigo. Certa vez no cursinho, Positivo da Sete, mais cocota impossível, na hora do intervalo a criatura que sentava na minha frente resolveu dar um passeio, eu e minha cúmplice, mortas de vontade de comer um doce e morrendo de preguiça de descer na cantina, ficamos pensando no que fazer, ou melhor, no que comer, foi quando olhei pra frente, dei de cara com uma caixa maravilhosa de merengue “piscando” pra mim, ahh mas na hora me veio à cabeça, hummm é esse mesmo que vai pra “fita”, não pensei duas vezes, pulei na mesa dele e ataquei o doce, só não contava com a velocidade do retorno do cidadão, que na velocidade da luz, sentou-se, me olhou e disse “está gostoso o meu merengue?”, socorro, queria abrir um buraco no chão e me jogar, mas respirei fundo e respondi, me achando a tal, “está sim, uma delícia”, e ele mais malandro ainda me disse com toda classe, “pois é, mas você podia ter me pedido”. Imaginem a minha cara de caneca.... Também, não se pode esperar muito de uma pessoa que confunde a mãe né?
Mas se vocês pensam que acabou, afff, nada disso. Eu não entendia muito bem o que queriam dizer com a frase “se você acha que as coisas estão ruins, não se preocupe, elas podem piorar”, pois bem, agora entendo perfeitamente o que queriam me dizer.
Toda mulher vai concordar comigo, não existe nada pior do que passar carão na rua, principalmente quando se está virada numa cocota. Pois é, comigo aconteceu.
Um belo dia, estava eu Luluzinha, toda metidinha montada no meu scarpin lindo, rosa e preto, me achando a tal, indo comprar cerveja pra uma festinha, desci do carro toda feliz, pensando “é hoje que me dou bem”, afinal estava linda, toda arrumadinha. Eis que chego na porta da porra do mercado, nem me liguei, entrei, entrando, só que esqueci de olhar para o chão, maldita hora que fui esquecer justo do principal, não é que tinha um infortúnio de uma grade toda furadinha que simplesmente me fez entrar descalça de um pé no mercado. A porcaria do salto prendeu na grade e eu dei uns três passos com um pé de sapato e outro descalça, bem do estilinho “tá fundo, tá raso, tá fundo, tá raso”, conseguem visualizar a cena né. Pois bem, até aí dava para disfarçar, mas quando olhei ao redor, bah, tinha uma galera chegando pra fazer a mesma coisa que eu, comprar cerveja. Calculem minha cara de tacho voltando toda cocotinha pra buscar o sapato que estava enterrado na porta do mercado, aff queria morrer. Foi uma cena patética, e pior, não tinha nem com quem comentar, eu estava sozinha, tipo louca rindo e querendo chorar ao mesmo tempo. Maldito mercado, devia ter entrado com uma ação por danos morais. Até agora não entendo, porque colocar uma grade cheia de buraquinhos, que domina a porta inteira do mercado, sendo que 80% dos freqüentadores são mulheres e que muitas usam este lindo adereço. É pessoal, essa foi literalmente uma descida do salto.


É claro que os fiascos não param por aí, mas também não vou ficar me entregando pra todo mundo né? Tá certo que quero ser uma Desaforada, mas daí, a virar motivo de piada, já é um pouquinho demais.

E se vocês querem saber, eu adoro ser assim, estabanada, fiasquenta cheia de saia justa pra contar, pois, se não fosse assim, com certeza não saberia escrever hoje para vocês.

Bjks pra todo mundo.

Lu Oliveira

17 comentários:

henrique negretti disse...

adorei o que voce escreveu ,agora sei mais um pouco de voce , parabéns ...beijosss

Anônimo disse...

Lu, você com certeza conhece a famosa Lei de Murphy, pois então, é daí que vem a célebre frase “se você acha que as coisas estão ruins, não se preocupe, elas podem piorar”. Mas eu prefiro ver as coisas do jeito Polyana: "não há nada tão bom que não possa melhorar". E assim é que são os seus posts, cada vez mais divertidos e bem-vindos aqui no blog.
Beijão, bela surpresa.

Mario

Verônica Pacheco disse...

Seja bem vinda Lu Oliveira. Além de ter simpatizado contigo ainda me identifiquei muito. Também sou a "senhora bola fora" e nem ligo para isso. É meu jeitão mesmo. Pior/melhor que tem gente que gosta né? rsrsrs
;) beijão
Verô

Anônimo disse...

Henrique querido, obrigada por comentar, depois eu deposito a sua grana hahahaha...

Mario, tanto conheço, como a odeio, ooo cara chato esse heim hahaha? Pra acabar com o dia. Muito mais ver as coisas pelo jeitinho Polyana. Mas consideremos que é bem difícil pensar positivamente estando agarrada nas pernas da mãe errada, sendo flagrada cometendo um delito ou até mesmo com o salto enterrado na grade do mercado, não acha???
Ahhh obrigada pelos elogios, só me fazem querer crescer mais.


Verô, obrigada de coração pela receptividade e pela simpatia.
Ahh não temos mesmo que ligar pra isso, não estamos prejudicando ninguém "tô nem aí". Ainda bem que tem quem goste hahahah...

Bjks aos 3....
Lu Oliveira

Anônimo disse...

Ué, p q vc vai depositar dinheiro na conta do Henrique? C a gente t elogia, vc paga, é isso? rsrs
Beijo e depois t passo o número da minha conta. ;-)

Mario

Anônimo disse...

Hahahah combinamos depois os valores... bjks da Lu

Paulo disse...

Legal !!!



Rsssss, não poderia só dizer isso né !!! rssss !!!!
Parabéns, achei muito bom, e conhecendo vc, sei que isso tudo é possível mesmo!
Mas nada vai me fazer rir tanto quanto ao seu fre lance, lembra !!!
É acho que vai demorar um pouco para vc conseguir bater !!!
Parabéns pelo texto, ta no caminho certo !!!
Valeu !!!
Beijos!

Anônimo disse...

O que assusta necessariamene não é Lei de Murphy,mas sim a lei Newton da gravitação universal...Afinal,o que,e quem não se rende a lei da gravidade?rsrsrs
Eu já me rendi aos encantos dela!

Anônimo disse...

Cuidado, ele está solto por ai. É o homem-projeto, um onipresente. Está em todos os salões, lançamentos, vernissages, guichês de isenção fiscal, concursos da Petrobrás, festas, restaurantes da moda, bares descolados,no mercado municipal, ou em qualquer lugar do país... Com o aumento do contingente no exército de reserva, nem se fala, o homem-projeto começou a se multiplicar como Gremlins. Uma praga.

“Por falar nisso eu tenho um projeto...”

“Acabei de inscrever um projeto...”

“Estou preparando um projeto...”

“Estou captando para um projeto...”

“Copiaram o meu projeto...”

“Puta projeto...”

O macho e a fêmea-projeto alimentam a paranóia delirante do plágio dos seus projetos. Alguém na sombra estará sempre copiando as suas idéias. Originalíssimas, diga-se. Fazem um mistério danado dos seus projetos. Quando contam, tudo não passa de algo tão novo quanto uma missa do galo, tão inédito quanto o “no princípio era o verbo”.

Se tem algo que não se rouba em um país de obras inacabadas é projeto. Se há mais projetos que larápios, que sentido faz o rapto?

Para completar, o amor próprio, esse orgulho besta, acaba também inviabilizando o prazer do plágio. O que se tem, na boa, não passa de uma angustiazinha da influência, no máximo. Sabe o que ocorre? Todo mundo quer ser dono do seu projeto e do seu próprio nariz, até mesmo aquele lesado senhor que teve a napa subtraída pela navalha do barbeiro de Gogol.


ex-tático

Mazé disse...

ótimo texto, Lu. Pelo menos vc nunca fez as amigas passarem carão...rs

Ca-mi-la disse...

Caramba, também já confundi outra mulher com a minha mãe. O pior é que esse episódio aconteceu na semana passada.
Detalhe: Além de ser parecida com a minha mãe(só de costas, porque de frente não tinha absolutamente nada a ver), a sujeita estava com um uniforme igualzinho ao do hospital onde minha mãe trabalha.
É brincadeira?
Parabéns.
Beijos.

Anônimo disse...

OK, OK, também vou confessar que já confundi minha mãe. Foi na frente de uma loja de departamentos no centro de Curitiba, e eu era muito pequeno. Estava cheio de gente, e eu, de costas, peguei na mão de uma mulher que achei ser minha mãe. Mó susto. Não sei como, mas fui encontrá-la tempos depois e, chroroso da vida, enchi de socos e chutes o espelho de um provador. Proponho que criemos uma comunidade no Orkut: "eu já confundi minha mãe com outra".

Mario

*Lu* disse...

J.P. ainda bem que você não veio somente com esse simples "Legal", ja me basta ler boa parte do dia essa palavra hahaha...Valeu querido pelo comentário feito por livre e espontânea vontade hahahah...Ahhh pelo amor de Deus, esqueça o que falei sobre o freela...é nisso que dá falar sem pensar.

Anônimo querido ou querida, com certeza a Lei da gravidade é foda heim...mas prefiro não comentar...hahah

Ainda bem mesmo Mazé, eu sou uma fiasquenta legítima, mas preservo minhas amigas hahahah....

Cami e Mario fico muito feliz em saber que naõ sou eu a unica doida que confunde a mãe...vocês não sabem o peso que me tiraram das costas...depois de 22 anos voces mudaram a minha vida hahahah...

Eu sou parceira para a criação da comunidade hehehe...

Lindas pessoas, muito obrigada pelos comentários e participação, espero que não parem por aqui, estou amando...Bjks a todos

fabiola disse...

cara, muito divertido seu texto.. meu bola fora preferido foi o do merengue, eheheheeh, acho q eu teria feito o mesmo :~) bejokas, continue girl... Escrever é reviver...

*Lu* disse...

Fabi, que bom que gostou...Afff eu queria poder mostrar a minha cara quando ele me disse aquilo...mas da pra imaginar né??? bjks da Lu

fabiola disse...

heheh dá sim... ele era bonitinho pelo menos? bjos Fa

*Lu* disse...

Uma graça pelo que eu me lembro hahahah Bjks da Lu