segunda-feira, 27 de outubro de 2008

Tema da semana: Saia Justa

Infelizmente, a Aletéia, Desaforada das segundas-feiras, está mega-atribulada viajando pelo nordeste do país para fazer todo o agreste cheirar a O Boticário. Por conta disso, esta segunda-feira deveria ser coberta por uma Desaforada X. Só que, infelizmente de novo, a garota escalada para redigir o post de hoje acabou furando. Nada mais adequado para o blog, afinal o tema da semana é saia justa. O resultado é que tivemos de, no meio da madrugada, realizar uma operação de emergência, mas ainda assim procurando gerar um texto relevante e bem cuidado. A idéia de última hora foi dar continuidade ao post que provavelmente foi o de maior repercussão na semana passada. A Desaforada X Luciane Fernandez revelou sua paixão por uma garota em um relato tão sincero quanto tocante. Nos comentários, surgiram manifestações de apoio e apreço à corajosa iniciativa. Mas, o que ninguém sabe é que o passo dado pela Lu foi mais audacioso do que se pode supor: há poucos meses, ela era quase noiva de um rapaz religioso fundamentalista e que nem imaginava ser sua namorada apaixonada por outra garota. Convidada a relatar o caso (que é uma saia justíssima), a Lu acabou declinando da idéia pelo pouco tempo que teria para a tarefa. Então, a proposta tomou corpo na forma de entrevista, como pode ser conferida a seguir.

Eu, ela e ele



Mario:
Lu, você revelou, no post da semana passada, que gosta de uma garota. O texto foi um dos mais comentados do blog nos últimos tempos. Mas esse affair já não é de hoje e, em um passado recente, você namorava um rapaz religioso e celibatário. Como foi a saia justa de manter esse segredo, já que para ele esse outro amor seria considerado uma aberração?
Lu:
Na verdade foi algo muito difícil. No começo aceitei passivamente a situação, já que, na época que comecei esse namoro, eu tinha uma outra cabeça e achava que o sentimento que eu tinha pela Cami era, de fato, uma “aberração”. Só que, com o tempo, foi ficando cada vez mais difícil manter esse segredo, porque de um lado tinha toda uma concepção religiosa, seguia à risca as regras da igreja, mas, por outro lado, isso conflitava com o meu desejo de liberdade, que sentia muita falta.
Mario:
Como você fazia para esconder sua paixão paralela?
Lu:
Simplesmente não falava pra ninguém a respeito. Agia como as pessoas queriam que eu agisse. Era assim pra minha família, amigos, igreja, pro meu ex e até mesmo pra ela.
Mario:
Com a convivência com ele, você chegou a achar que gostar de uma garota era errado?
Lu:
Sempre achei. Aliás, achei que namorando com ele, eu poderia “apagar” esse sentimento. mas não deu certo. Outros fatores que me ajudavam a pensar assim eram a minha família e, principalmente, as pessoas da igreja que eu frequentava na época. Já que diziam que sexo só era permitido depois de casar, que sentir desejo por outra mulher era errado...
Mario:
Houve algum momento em que você pensou em revelar tudo?
Lu:
Pra quem, Mario?
Mario:
Pra ele.
Lu:
Nossa, várias vezes! Mas também sabia que, se eu contasse, o término do namoro seria certo. E nossos planos de casamento também. Ele jamais ia aceitar uma situação dessas, e realmente, quando descobriu a verdade não aceitou.
Mario:
E como você acha que seria se tivesse realmente casado com ele?
Lu:
Não sei. Na verdade nem gosto de pensar muito nisso. Provavelmente ia ser um casamento fracassado e infeliz pros dois. Ia ter que continuar a ser a menina certinha que interpretei por dois longos anos. Mas só percebi isso depois de muitos toques de amigos meus.
Mario:
Mas você não havia dito que não conversava com ninguém a respeito da situação?
Lu:
De fato, não. Só falei pra você, depois que ela me apresentou você (risos).
Mario:
OK. Você tem a libido à flor da pele, como conseguia controlar seu tesão estando com um namorado que, no máximo, te beijava?
Lu:
Fazia qualquer coisa que pudesse desviar a minha atenção, vivia pendurada na igreja, participava do grupo de jovens, ia aos cultos de domingo a domingo, orava... Ou mesmo sair, caminhar, ler, estudar... qualquer coisa que pudesse mudar a minha atenção pra outra coisa. Aliás, eu sentia desejo pelo meu namorado também. Mas também sentia pela Cami. E é complicado sentir tesão por duas pessoas assim tão... diferentes.
Mario:
Por quem sentia mais desejo?
Lu:
Algumas vezes mais por ele, outras por ela... Mas dominava o desejo por ela... Acho que pela afinidade, a nossa história, a forma que nos conhecemos, as experiências que tivemos.
Mas também durante esse tempo desejei muito um outro homem, mas esse nunca nem desconfiou.... esse superava o desejo que eu tinha pela Cami.
Mario:
Você chegou a trair seu namorado?
Lu:
Não, nunca. Apesar do dilema, sempre respeitei. Sou radicalmente contra traição.
Mario:
Como ele descobriu sobre o seu amor por outra garota?
Lu:
Da pior forma possível. Ele soube através das conversas que eu tinha com ela no msn. Há poucos meses ele foi me visitar, pediu para ver uns e-mails no meu computador... Deixei, ele acabou mexendo nos meus arquivos e leu o histórico. Eu disse “da pior forma possível” porque logo depois discutimos, ele me agrediu, me humilhou de todas as formas. Se bem que se eu tivesse falado, ia ser a mesma coisa. Ele não tem tolerância pra essas coisas.
Mario:
E o que aconteceu em seguida?
Lu:
Depois disso, da decepção inicial ele ainda quis reatar... Eu achei que ele pudesse mudar a forma de pensar... E como sabia que com ele poderia ter uma relação sólida, estável, e ter uma segurança que nunca tive, aceitei voltar, depois de muita insistência dele. Não durou uma semana, discutíamos direto, ele sempre jogava na minha cara... Me proibiu de ver a Cami, aliás, me proibiu de um monte de coisas. Até ir pra cama com ele foi uma merda. chorei muito. Foi horrivel
Mario:
Por quê?
Lu:
Porque não houve afinidade nenhuma, nenhum entrosamento, não senti prazer , ele não foi carinhoso comigo (e eu sempre imaginei o contrário), deixou a desejar nas preliminares... daí inclusive percebi que além de um casamento infeliz, eu ia ser frustrada sexualmente. Na hora senti, bateu um desespero e daí consegui ter coragem suficiente pra sair fora de vez... Chegou uma hora que eu cansei, não ligava mais pras ameaças que ele fazia de contar o que sabia pra minha família. Até porque ele também não tinha como provar nada. Eu estava sufocada.
Mario:
Mas sendo ele celibatário, como acabou indo para a cama com você? Você o seduziu?
Lu:
Não, não fiz nada. Até porque não me considero sedutora. Até hoje não entendo como aconteceu. E nem fico pensando no por que. Acredito eu que tenha acontecido devido à mistura de desejo reprimido, da parte dele, e à esperança de que talvez a situação pudesse mudar, da minha parte.
Mario:
Depois disso, como você acabou o relacionamento e qual foi a reação dele?
Lu:
Conversamos, quer dizer, tentei conversar. Falei tudo o que pensava e que mantive em segredo por um tempão. Ele não teve escolha senão aceitar. Isso foi há mais ou menos uns dois meses atrás. Depois disso, perdemos contato e não me procurou nunca mais.
Mario:
Você amaria uma garota e um garoto ao mesmo tempo? Acha que seria possível uma relação (ou até um casamento) assim?
Lu:
Acredito que sim, aliás eu até gostaria que acontecesse comigo. Quanto a ter uma relação a três, digamos assim, depende, acho que pode ser possível, mas depende muito das partes. Tem que haver uma boa dose de equilíbrio, de maturidade... amor e respeito, além do desejo mútuo. É difícil mas acredito ser possível sim. Só que os três têm que querer a mesma coisa também.
Mario:
E o que seria "a mesma coisa"?
Lu:
Os três têm que estar dispostos, oras. Os três devem querer os outros dois (risos). Desculpa, Mario, dessa vez não tive como conter o riso.
Mario:
Tudo bem, pode rir à vontade, engraçadinha. Para encerrar, é verdade que você se inspirou no post deste domingo para, ontem mesmo, realizar uma experiência envolvendo beijos e chocolate? Lu:
Por que engraçadinha?
Mario:
Irrelevante para a entrevista. Responda à pergunta.
Lu:
Sim. Já que não tinha nenhuma bebida daqueles tipos que foram citados no post, resolvi improvisar... (risos) Bom, pelo menos deu certo e acredito que tenha sido ótimo pra nós duas... E estou confiante de que daqui a um tempo eu possa dar boas notícias... Acho que dessa vez conquisto meu amor.



Mario Lopes em entrevista com Luciane Fernandez, assistente administrativa e Desaforada X

5 comentários:

fabiola disse...

UAU, adorei a entrevista, acho q complementou o relato... nossa então de fato, vc se satisfaria pra sempre se casasse com ela? Se manteria fiel à ela mesmo que um homem fantástico cruzasse seus caminhos? Minha ex amiga com quem tive um pequeno caso me pediu em casamento uma vez, mas não aceitei, pq no fundo meu desejo pelos homens é mais forte.

Anônimo disse...

Fa, se pintar o tal "homem fantástico", elas o absorvem na relação. hehe
Beijos.

Mario

gazstao disse...

É isso aí Lu!

Seguindo seu coração nunca tem como dar errado!

estar em paz com a gente não tem preço...

bjs!

Anônimo disse...

olá pessoal
+ uma vez quero agradecer a oportunidade e espero poder participar + vezes ( acho q acabei me empolgando depois da ' estreia ') , rsrsr

fabiola

olha , por enqto acredito q estaria feliz do lado dela , + como nunca sabemos o dia de amanha , essa situaçao pode mudar totalmente ...... enfim , é o q posso dizer por agora ....

pelo q vc contou do teu caso, tb. percebi muitas semelhanças com o meu ..... vc é +/- parecida com a minha amiga ( enquadrando na situaçao atual ), pq ela tb sente desejo maior pelos homens ( inclusive esta apaixonada por um sujeito aí )
obrigada pelo carinho e gostaria mto de manter contato com vc se for possivel ......
beijos !!!!!!

mario

achar um cara com esse perfil é a mesma coisa q procurar agulha no palheiro, rsrsr
beijos !!!!

gazstao

vc disse tudo ..... disse tudo !!!!!
apesar q o coraçao as vezes é traiçoeiro .....
obrigada por comentar .
beijos !!!!!!!

luciane

fabiola disse...

Claro Lu, sabe, eu adoro todas as histórias de amor, as de amor proibido, amor selvagem, amor de amigo, amor distante... sou uma poeta do amor, atriz, cantora, artista, enfim minha alma se move com estas questões... Um beijão!!